Investidor Anjo: Transformando boas Ideias em Grandes Negócios

Quem nunca sonhou em abrir seu próprio negócio que atire a primeira pedra. E quem nunca ouviu uma história motivadora sobre jovens sonhadores que tiveram um insight, criaram uma startup e hoje colhem os frutos e os milhões do empreendedorismo, que atire mais pedras ainda!

O que não falta aos jovens empreendedores e também aos não tão jovens (já que empreender é democrático e tampouco possui padrões) são ideias geniais que possuem potencial para se transformar em grandes negócios, mas por que nem todas saem do papel?

Se não são boas ideias que faltam, o que torna inexequível o negócio?

Muitas são as variáveis que respondem a essa questão, entre elas: experiência, capital para desenvolver o projeto, um bom planejamento e conhecimento , por exemplo.

Claro que ainda com todos esses desafios há quem persista e consiga caminhar com as próprias pernas, mas sem dúvidas é o caminho mais árduo na trajetória do empreendedor que por si só já não é fácil. Mas há um atalho em meio a trajetória de fazer com que uma startup entre em funcionamento, e ele é denominado Investidor Anjo.

Não diferente do que o próprio nome remete, o Investidor anjo apadrinha a startup e supri diversas necessidades para que a ideia se torne realidade. Mesmo não estando presente no dia-a-dia ele torna-se um sócio da empresa.

Mesmo com todos os recursos que o Anjo pode proporcionar, ainda assim há empreendedores que não aproveitam a oportunidade. Muitos tendem a cometer erros como direcionar a atenção apenas para os recursos financeiros voltados ao desenvolvimento do produto ou serviço e se esquecem de absorver o conhecimento e experiência do Investidor Anjo, bem como as conexões e relações que ele pode proporcionar através de seu meio social de influência.

Conquiste seu Anjo

Estes investidores tendem a apostar no meio que já conhecem e nas ideias e soluções propostas que se diferenciem das demais existentes no mercado e que possam ser escaláveis.

Para conquistar um investidor, antes de tentá-lo convencer a confiar na sua ideia e na sua empresa, você deve fazê-lo confiar em você. A referência antes de tudo é o empreendedor.

Não adianta que ele acredite na sua proposta se não acreditar em você. Se conseguir conquistá-lo é hora de flertar com ele e fazê-lo se apaixonar pela sua ideia.

Conhecer a fundo o seu Anjo é essencial. Buscar conhecer os projetos que ele tende a apadrinhar e os investimentos que já fez torna sua apresentação e o alinhamento de seu projeto mais próximos da realidade dele e claro, do interesse também.

Dividir para Multiplicar

Gabriel Kallas, sócio-fundador da Toro Radar, empresa de análise de investimentos na Bolsa de Valores fala sobre o começo da empresa como uma startup:

“Começamos com muitas ideias e poucos recursos e se pudesse comparar, diria que uma empresa é como um filho. Se você tem tudo planejado, é muito mais fácil receber esse filho e cuidar dele na fase que ele mais depende de você. Cuidar de um filho demanda ajuda de outras pessoas, por mais que no fundo a responsabilidade principal seja nossa. A gente precisa ter claro que na vida não construímos nada realmente grande sozinhos, dependemos das outras pessoas e do que elas podem fazer e transformar.”

Enquanto muitos desejam dividir suas ideias e veem a importância do Anjo para o crescimento da empresa, há quem coloque um pouco de egoísmo na hora de dividir a ideia e o negócio. Mas algumas pessoas esquecem que é necessário, principalmente no começo, dividir para crescer.

Seja um Anjo, um sócio, um colaborador, o imprescindível é agregar á empresa pessoas que possam fazer por ela o que você não pode.

Convidada: Renata de Faria Cota – Graduada em Marketing e autora de artigos em diversas editorias. Integrante da equipe de marketing do Toro Radar é responsável pela assessoria, comunicação e relacionamento da empresa com parceiros em todo o país.

Quero Escrever um GuestPost