eSports ganha maior arena de Battle Royale do mundo

Apesar de grandes eventos de esportes clássicos, como Champions League e Olimpíadas ainda se destacarem, é um cenário que vem mudando. Isso se deve principalmente à evolução dos eSports. Tanto que, atualmente, todo o setor movimenta mais de US$ 1,5 bilhão ao ano, de acordo com dados da NewZoo.

Todo esse crescimento é refletido não só na popularidade dos eventos, mas também a cada divulgação feita. A da vez foi que, a partir de 2021, o estádio do Pacaembu, em São Paulo, vai contar com uma arena de eSports, voltada especificamente a Battle Royale

O anúncio foi feito na última terça (22), e revelou que a arena vai comportar até 100 pessoas jogando simultaneamente. E com espaço para 2 mil pessoas. Com esse número, essa será a maior arena de Battle Royale do mundo.

Segundo a divulgação, a estrutura vai contar com 482m² de painéis de LED para transmissões simultâneas. O local vai contar também com um centro de convenções para comportar eventos para até sete mil pessoas.

A arena será sediada diretamente no campo de futebol a partir de uma infraestrutura provisória. Com o planejamento, enfim, de entregar a infraestrutura definitiva no dia 27 de abril de 2023, data de aniversário do estádio. 

Os embaixadores dos eSports no Pacaembu 

Uma revelação tão grande como essa contou com cinco conhecidos do meio: Willian gORDOx (influenciador e narrador), Bruno Nobru (pro player de Free Fire), Felipe brTT (pro player de LOL), Júlia Mayumi (pro player de LOL) e Nicolle Cherrygumms (CEO da equipe da Black Dragons).

Aliás, os cinco participaram da gravação de uma carta aberta aos “esportes tradicionais” para apresentar o projeto. 

“Ter uma área única e exclusiva para os eSports, em um nome com o Pacaembu por trás, é chancelar nosso nome no esporte eletrônico. E também no tradicional”, apontou Cherrygums. 

Para Nando Cohen, CEO da BBL (Bad Boy Leeroy), a arena será a “Meca” dos eSports no Brasil. “Esta arena representa uma nova fase. Não somente na vida dos gamers, mas em todo o ecossistema e cumpre a missão da BBL, de fomentar e democratizar a cultura de games e eSports”, explicou.

Por fim, Eduardo Barella, CEO da Allegra Pacaembu, apresentou mais detalhes do projeto. “O Pacaembu é emblemático para a cidade de São Paulo. Queremos trazer o Pacaembu de volta para sua origem. Ele foi concebido na década de 40 como complexo de cultura, esporte e lazer. Queremos voltar ele para os holofotes da cidade”, argumentou. 

Esse anúncio, então, coloca o status do eSports no Brasil ainda superior. Entretanto, apesar do cenário já ser grande dentro do nicho de jogadores e torcedores, é uma oportunidade ainda maior do público geral conhecer mais do universo.

Ainda que os eSports passaram a ser transmitidos na televisão, uma arena presencial passa a ser mais chamativo. Consequentemente, mais convidativo para um novo público que não está tão familiarizado. 

FONTE
1 2

Compartilhe:
Artigos relacionados