Shorts x TikTok: qual a diferença entre as plataformas?

Nesta segunda-feira (14), o YouTube anunciou o seu novo serviço: o Shorts. Mas calma que não é nada relacionado a moda. Na verdade, é um novo recurso para competir com o TikTok e o Reels, do Instagram.

Nos próximos dias, o YouTube vai liberar uma versão beta para usuários da Índia, que baniu o TikTok do país. De acordo com a empresa, futuramente, mais países vão ter acesso ao Shorts, com recursos adicionais. Diante da novidade, o YouTube não divulgou nada sobre o lançamento do Shorts aqui no Brasil.

“Na medida em que a tecnologia avança, criadores e artistas podem tirar proveito do incrível poder dos celulares para criar e publicar facilmente conteúdos de alta qualidade”. Foi o que explicou Chris Jaffe, vice-presidente de Gerenciamento de Produtos do YouTube.

Pelas imagens de divulgação, é possível observar que para a produção de um vídeo, haverá um botão + para usuários Android. Enquanto para usuários iOS vai aparecer um ícone de câmera. Para a gravação, um botão de captura será exibido, tal qual funciona nos outros aplicativos.

Com isso, vem então aquela pergunta. Qual a diferença entre o Shorts e o TikTok e o Reels? 

Shorts x TikTok x Reels 

No ponto de vista técnico, o anúncio não demonstrou tantas diferenças dos dois concorrentes. 

Da mesma forma que funciona no TikTok e no Reels, o foco do Shorts e na produção de vídeos curtos. “Shorts é uma nova experiência de vídeo de formato curto para criadores e artistas que desejam gravar vídeo cativantes usando apenas seus celulares”. Apesar dessa explicação do YouTube, essa “nova experiência” ainda não conseguiu se provar. 

Isso porque a plataforma também vai permitir a produção de vídeos com limite de 15 segundos. Essa característica, inclusive, diferencia do TikTok, que permite vídeos de até um minuto. No entanto, traz a mesma limitação do Reels. 

Além da gravação, o Shorts também vai permitir subir vídeos armazenados na galeria – também com o limite de 15 segundos. 

O Shorts vai oferecer uma vasta biblioteca de faixas, permitindo que o usuário as utilize como trilha sonora. Além de também dar ao usuário a possibilidade de controlar a velocidade do vídeo e até usar o temporizador, que permite gravar com as mãos livres.

Outra similaridade está na navegação entre os vídeos. Da mesma forma que no TikTok e no Reels a navegação é na vertical, no Shorts a linha será a mesma. No caso, o Shorts será uma seção exclusiva no app do YouTube que vai permitir a visualização de vídeos na vertical e com uma navegação semelhante.

Qual será o futuro do Shorts?

Ainda que as semelhanças possam ser vistas como algo negativo, pode ser uma vantagem.

Principalmente pelo fato da relação entre a China e os outros países não estarem nas melhores condições. Tanto que países com um grande número de usuários, como Índia e EUA seguem em conflito. E, também, pelo fato do YouTube ter uma melhor relação dentro desses países. 

Entretanto, o app do YouTube não demonstrou tanto interesse entre os usuários com novas funções. A própria seção de stories do app não foi bem aceita e segue não sendo tão utilizada.

Neste ponto, o Shorts perde relevância. Principalmente se o YouTube mantenha o mesmo direcionamento no seu aplicativo. 

FONTES
1 2 3

Compartilhe:
Artigos relacionados