Twitter estuda comprar TikTok e fundir as duas redes

Depois do interesse de investidores americanos e da Microsoft, agora é a vez do Twitter entrar na luta para comprar o TikTok. De acordo com a agência Reuters, o Twitter Inc demonstrou o interesse em adquirir as operações americanas do app e unir as duas em uma só rede. 

A atitude do Twitter acontece dias depois da Microsoft anunciar que as negociações para a compra continuam. Tanto que o CEO da empresa, Satya Nadella, chegou a ter uma conversa com o presidente Donald Trump antes da compra. Muito se deve porque Trump revelou que iria banir o aplicativo dos Estados Unidos por conflitos relacionados à captação de dados. 

A entrada do Twitter na disputa demonstra ainda mais força para manter o app chinês no país. O que não é para menos, já que a potência do aplicativo é cada dia maior. Apesar da questão sobre a potência do aplicativo ser indiscutível, a potência em relação às duas empresas interessadas se torna a principal pauta do momento. 

Com a empresa na jogada, coloca em discussão também a decisão de Trump sobre banir o app do país no dia 15 de setembro. 

Twitter e Microsoft na disputa de poder 

A questão quanto a entrada do Twitter nessa luta está relacionada diretamente com o financeiro. Muito porque as diferenças entre o Twitter e a Microsoft são gritantes. “O Twitter terá dificuldade em reunir financiamento suficiente para adquirir até mesmo as operações da TikTok nos EUA. Não tem capacidade de empréstimo suficiente ”, diz Erik Gordon, professor da Universidade de Michigan.  

Devido a esse conflito, especialistas garantem que o Twitter precisaria da ajuda de investidores para conseguir realizar a compra. Ainda que o interesse do Twitter é muito menor em relação ao interesse da Microsoft. A empresa de Nadella busca adquirir, segundo o jornal Financial Times, as operações dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia. Enquanto o Twitter busca apenas as operações norte-americanas. 

Mesmo assim, o poder de compra da rede social é inferior ao da empresa de tecnologia. Com isso, fica impossível saber se a rede social é capaz de superar a oferta da Microsoft dentro dos 45 dias que Trump estabeleceu à ByteDance para realizar a venda. 

Gordon também acrescentou ser possível que os próprios acionistas do Twitter podem preferir que a gestão se concentre nos negócios existentes. Um bom passo para a rede social é o interesse da firma de ativos privados Silver Lake, um dos acionistas da rede. 

Outro ponto para o Twitter está relacionado à própria oferta. Segundo a empresa, sua oferta enfrentaria menos entraves regulatórios do que a da Microsoft, sem passar por pressões da China, uma vez que a empresa não atua lá. 

No entanto, o próprio Trump demonstrou apoio aos esforços da Microsoft. Mas com a exigência de obter uma “porção substancial” dos rendimentos. 

FONTES
1 2

Compartilhe:
Artigos relacionados