Programador cria máscara com visor digital para usar durante pandemia

Depois do governo estabelecer obrigatoriedade no uso de máscara em lugares públicos, a variação do vestuário está cada vez maior. E também bem mais criativas. 

Entre as máscaras estampadas personalizadas, o programador Tyler Glaiel publicou um vídeo mostrando uma máscara diferente. Ele, que já trabalhou nos games The End is Night e The Basement Collection criou uma máscara com visor digital. 

O visor é usado para simular o movimento da boca durante fala. No caso, ela traz um sensor que ativa as luzes no momento que Glaiel movimenta a boca.

O programador publicou um vídeo em seu Twitter que não só mostra o funcionamento dela, como também mostra que ela consegue simular um sorriso.

Em outro vídeo, é possível conferir como ele faz. O visor é formado por uma telinha e totalmente movida a bateria, ou seja, sem precisar de fios ou um sensor pelo corpo. E nesse vídeo, ele também mostra como o sorriso funciona. 

No caso, ele é ativado diferente. Ou seja, não basta o usuário sorrir, ele precisa fazer um som com a boca, como se fosse de uma bolha estourando. 

Pelo Twitter, o programador também publicou o código que ele usou no desenvolvimento. Assim, quem quiser ter uma máscara facial nesse nível, pode conseguir desenvolvê-la. 

Além do toque tech na máscara, um médico usou a tecnologia para algo mais simples. Mas também eficaz. De casa, ele, junto com um grupo de voluntários, produziu não só máscaras, como também materiais hospitalares, em impressoras 3D. 

Diferente das máscaras de pano, ela protege o rosto por completo. E outra diferença também está no tempo de confecção. Hoje, com uma toalha e elásticos, é possível produzir uma em segundos. Essa, por sua vez, demora cerca de duas horas para ficar pronta. 

A moda da máscara

A máscara de Glaiel é só uma dentre as centenas de variações do vestuário. Isso porque com tanto tempo e tédio durante a quarentena, muitas pessoas estão se aproveitando da criatividade para ficar estiloso. 

Um exemplo é o casal de artistas Allison Eden e Gary Goldenstein. Na abertura da exposição “Studio 54: Night Magic”, os dois aparecem com uma máscara que simula um globo de luz das pistas de dança. 

Outras máscaras que vem ganhando o público – e a internet – são as customizadas com rostos. É possível enxergar várias à venda, de personagens ou até mesmo de pessoas. Nesta semana, o humorista Eduardo Sterblitch ganhou a internet ao aparecer no programa Encontro, da Globo, com uma máscara simulando o próprio meme. 

Enquanto isso, há outras pessoas que estão elevando o conceito da máscara.

Pela internet é possível encontrar diferentes pessoas com objetos variados no rosto para se proteger. É possível encontrar máscaras feitas com garrafas pet, sacos plásticos e até copinhos plásticos (todos esses exemplos não seguem as normas da Organização Mundial da Saúde. Não faça o mesmo, use máscaras de qualidade). 

FONTES
1 2 3

Compartilhe:
Artigos relacionados