Um dos maiores congressos de tecnologia móvel vai sofrer com sua edição de 2020. Há poucas semanas de acontecer o Mobile World Congress (MWC), grandes companhias como Amazon, LG, Nvidia e Sony desistiram de participar da edição deste ano, que acontece em Barcelona, na Espanha.

E o motivo não podia ser outro, já que o coronavírus continua assustando a todos devido o seu crescimento. 

Apesar do medo estar mais concentrado na China, há uma preocupação por ser um evento que reúne pessoas do mundo todo. Por isso, marcas já manifestaram preocupação. E a LG foi uma das primeiras a anunciar. Na última semana, a companhia divulgou um comunicado citando a segurança dos participantes e destacou que, com isso, vai focar em eventos à parte.

A Sony focou na necessidade de proteger clientes, parceiros, mídia e funcionários, para justificar a desistência do MWC. A Amazon se utilizou de uma justificativa parecida para também explicar sua saída. 

Mas a empresa que realmente chamou a atenção foi a Nvidia. Isso porque ela é uma das principais patrocinadoras do MWC. Na edição deste ano, a Nvidia anunciou que haveria um destaque nas tecnologias de inteligência artificial. A companhia também está presente na agenda, mas se torna bem improvável sua participação após a sequência de desistências.

Por sua vez, há empresas que seguem otimistas com o congresso. Mesmo com as preocupações com a doença, Qualcomm, Lenovo, Motorola, Xiaomi, Vivo e Honor mantiveram a presença confirmada.   

A tecnologia da MWC contra o coronavírus

A GSM Association, responsável pela organização do MWC, anunciou estar tomando uma série de medidas para permitir a realização do evento, mesmo com todas as preocupações.

Mantendo a preocupação com os impactos da doença, a GSM proibiu acesso de pessoas que vivem ou que estiveram recentemente em Wuhan.

Agora, pessoas que visitaram outras partes da China, devem provar que saíram do país há mais de 14 dias. Do contrário, terão a participação no evento cancelada.

LEIA TAMBÉM: APPLE FECHA LOJAS NA CHINA POR PRECAUÇÃO AO CORONAVÍRUS

FONTE