Como o RPA (Robotic Process Automation) pode transformar as empresas?

RPA (Robotic Process Automation): A evolução acelerada da tecnologia impacta diariamente a maneira como trabalhamos. A sua profissão existia há 10 anos?

E se existia, as funções que você realiza hoje seriam feitas da mesma maneira?

Empresas têm mudado a maneira como trabalham e com o departamento fiscal não é diferente.

Hoje vamos comentar como o RPA (Automação Robótica de Processos, em português) pode simplificar processos burocráticos e impactar positivamente os resultados para o seu negócio.

Mas antes de tudo, você sabe o que é RPA (Robotic Process Automation)? 

Robotic Process Automation, também conhecido como RPA refere-se à robotização de processos através da robótica. Empresas sempre estiveram à procura de maneiras de otimizar seu desempenho e alavancar lucros.

A introdução dos primeiros computadores foi considerada um ponto de virada e a popularização da internet, tempos depois, ampliou ainda mais esse cenário e o RPA aconteceu como uma consequência natural.  

Na prática, podemos classificar o RPA como uma ferramenta capaz de automatizar processos/atividades através de scripts tendo como base algum conjunto de regras e instruções.

A ideia tem como fundamento permitir que robôs – sejam eles físicos ou não – desempenhem funções repetitivas automaticamente, com o objetivo de excluir a necessidade de intervenção humana. 

Quer um exemplo simples e objetivo?

Pense em uma Macro de Excel. Ela nada mais é do que uma forma automatizada de se executar uma tarefa que foi previamente ensinada. É o mesmo conceito para automatização robótica de processos.

Por que automatizar a área fiscal?

Acredite se quiser, mas hoje em dia, mesmo com tantas novas ferramentas disponíveis, a maioria dos departamentos fiscais das empresas ainda faz todo o processo para pagamento de tributos de forma manual.

Ou seja, eles dependem de um funcionário para, de forma geral, fazer a apuração do imposto, acessar os sites, digitar os dados, capturar as guias, enviar ao banco o pagamento e armazenar os comprovantes. Ufa… é muita coisa!

Um procedimento maçante e facilmente suscetível a falhas. E é aí que entra o RPA fiscal. Para otimizar todo o processo.

Claro que não é possível automatizar 100% de um trabalho, mas tarefas repetitivas, que gastam horas valiosas podem utilizar um RPA.

Lista do que pode ser automatizado:

  • Processamento de pedidos;
  • Emissão de guias;
  • Envio de notificações;
  • Pagamento de guias;
  • Armazenamento de documentos;
  • Entre outros.

Benefícios do RPA Fiscal

Além de solucionar problemas específicos, como erros de digitação e pagamentos em duplicidade, o RPA também pode proporcionar várias vantagens para empresas pequenas, grandes e de diferentes setores: 

  • Simplifica os processos complexos;
  • Alcança o compliance fiscal; 
  • É escalável;
  • Não tem curva de aprendizado – você não depende de uma pessoa para aprender a tarefa, afinal o robô já foi programado.

Pera aí! Então você está me dizendo que os robôs vão tirar os empregos das pessoas? NÃO!

O RPA não veio para tirar o emprego e sim para simplificar procedimentos rotineiros e manuais para que as pessoas possam exercer funções mais estratégicas, que agreguem valor e tragam mais benefícios para a companhia como um todo, ou seja, menos braço e mais cérebro.

Afinal, eu não sou robô para trabalhar no automático. E você?

MINI BIO

Carlos Lima – Analista de marketing da Dootax, startup especializada no recolhimento automático de tributos.


E-mail: contato@dootax.com.br
Site: dootax.com.br
LinkedIn: www.linkedin.com/company/dootax

Compartilhe:

Talita Lombardi

Talita Lombardi é Fundadora e CEO da PrestigyME, agência de conteúdo & influenciadores. Possui mais de 17 anos de experiência no mercado B2B e é fundadora das marcas Menina Executiva e StartupsStars. Também escreveu o ebook de vendas SalesThinkng e o livro infanto-juvenil Jessica Rainbow. Talita é considerada referência nas áreas de empreendedorismo, vendas e startups no país.

Artigos relacionados