Criar uma startup: Quantas vezes você já teve uma ideia, que acreditou melhorar a vida de milhões de pessoas?

Muitas pessoas compartilham o mesmo sonho, mas a verdade é que poucas pessoas realmente sabem o tipo de desafio que estão assumindo.

Porque os vídeos que você encontra pela internet, mostrando escritórios e pessoas super descoladas felizes trabalhando não mostra a realidade do dia a dia dessas empresas.

Veja nesse artigo os principais desafios enfrentados por quem decide empreender nesse tipo de negócio.

Qual problema sua startup vai resolver?

As startups de sucesso têm um ponto em comum, que as diferencia dos projetos que não conseguem chegar em estágios mais avançados.

Todas essas startups foram criadas para resolver problemas específicos, que em muitos casos ainda não estavam no radar das empresas já consolidadas.

E é exatamente nesse ponto que muitos empreendedores que querem tirar seus projetos do papel acabam errando, colocando no mercado produtos que não atendem as necessidades de nenhum tipo de público específico.

Por isso é tão importante fazer um bom trabalho de pesquisa para validar se a sua ideia realmente pode vir a se tornar um negócio viável e, principalmente, rentável.

Qual é a diferença entre uma empresa comum e uma startup?

O termo startup surgiu em meados da década de 1990, impulsionado principalmente pela evolução da internet, que fez com que fosse possível executar projetos que até então eram completamente inviáveis.

Por isso existem alguns pontos chave que distinguem uma empresa classificada como convencional e uma startup.

O primeiro desses pontos é o risco envolvido no negócio, já que os modelos de negócio são muito mais arrojados do que os das empresas convencionais, que tem uma certa previsibilidade.

Um startup surge com o objetivo de se tornar um negócio sólido e escalável, mas é difícil garantir que isso aconteça.

Basta pesquisar no Google, ou nas redes sociais, por casos de projetos que não deram certo, apesar de terem ótimas ideias.

Outra diferença é que as empresas comuns, muitas vezes se mantém pequenas por uma questão de escolha dos sócios, enquanto toda startup é criada sob uma estrutura que permita o seu crescimento.

O ambiente em que uma startup se desenvolve também é bastante diferente das empresas convencionais, já que se trata de um ecossistema onde as incertezas são grandes e funcionam como combustível para que a empresa possa evoluir cada vez mais, entregando um produto mais sólido para o mercado.

Com tudo isso, o potencial de ganhos é proporcional aos riscos de se investir em uma empresa inovadora, o que atrai a atenção de investidores mais propensos a correr grandes riscos.

Você tem o perfil para criar uma startup?

Como você viu, criar uma startup é completamente diferente de uma empresa convencional, e isso faz com que nem todo empreendedor esteja preparado para esses desafios.

Porque durante o processo de desenvolvimento e teste o empreendedor será testado a todo momento.

Não é raro que o líder do projeto se questione várias vezes durante a jornada, principalmente em projetos disruptivos .

Por isso é importante que você faça uma autoanalise sobre alguns aspectos para saber se você está pronto para esse desafio, como por exemplo:

  • Se você aceita os riscos envolvidos na evolução do projeto;
  • Deixar o protagonismo para outras pessoas, e atuar mais nos bastidores;
  • Flexibilidade para testar novas ideias;
  • Foco em processos e desenvolvimento estratégico.

É claro que você pode trabalhar esses pontos ao longo da jornada, e evoluir junto com a sua empresa, mas para que isso aconteça é necessário estar consciente do seu estágio atual.

Somente assim você saberá exatamente o que precisa trabalhar para acompanhar o crescimento do seu negócio.

Você está preparado?

Sobre a Convidada: Jordana Hedler, Relações Públicas e Social Media Inquietta Comunicação.

Quero Escrever um Guest Post