Youtuber revela como dobrou sua renda em um ano na plataforma

Nos últimos anos, produtores de conteúdo do YouTube se tornaram não só celebridades, mas também o símbolo da nova geração. Com o sucesso, não vem só a fama, mas também dinheiro – muito dinheiro. E muitos se questionam quanto e como essas figuras arrecadam cada vez mais e mais renda. 

Quem acompanha o universo do YouTube sabe que há algumas formas de monetização. Há tanto pela própria plataforma, com adsenses do próprio Google através do vídeos.

Neste cenário, a monetização acontece para canais com, pelo menos, mil inscritos e quatro mil horas de vídeos assistidos. Assim, o Google filtra os anúncios e decide o quanto de renda vai para o(a) criador(a) e quanto fica com a plataforma. 

Ou também através de merchans, pagos por marcas. Neste outro cenário, a marca faz um acordo para seu produto/serviço ser divulgado no conteúdo do(a) youtuber, em troca de determinado valor.

Dependendo do número de alcance desses youtubers, os números podem ser astronômicos.

Devido a popularidade, há a dúvida quanto a, justamente, esses valores. Através de vídeos mais pessoais de alguns youtubers, é possível perceber a boa condição de vida. Porém, ainda assim, nada de números concretos.

Entretanto, a youtuber de tecnologia e life style Shelby Church decidiu quebrar essa barreira e revelar valores.

Na primeira semana de janeiro, Shelby mostrou aos seus mais de um milhão de inscritos que recebeu cerca de US$140 mil de anúncios do YouTube no ano passado. 

De acordo com a própria youtuber, este valor é o dobro do que arrecadou em 2018. O que surpreendeu e chamou atenção de fãs, e também de produtores. Afinal, como Shelby conseguiu dobrar sua renda em um ano na plataforma? 

A resposta de um bilhão de inscritos 

Shelby revela que, para conseguir arrecadar mais, é preciso estar atento(a) com a quantidade e a duração dos anúncios incluídos em um vídeo.

Para a youtuber, os ads devem ser inseridos em momentos estratégicos, justamente para não fazer com que a audiência feche o vídeo antes. 

Há um movimento comum de desistência em vídeos com longas introduções. Ou se há um prolongamento desnecessário em um único assunto, por exemplo. O tempo de vídeo também é algo a se pensar.

Atualmente, muitos criadores optam por publicar conteúdos mais longos. Assim, é possível que mais anúncios sejam inseridos. Na situação de Shelby, por exemplo, seus vídeos em 2018 tinham menos de dez minutos, em média.

Nisso, era possível ver apenas um anúncio. Em 2019, por sua vez, a youtuber decidiu aumentar essa duração. Consequentemente, mais anúncios e, claro, mais renda. 

Entretanto, antes de sair fazendo vídeos de uma hora, é necessário ter conhecimento do seu público e também do seu tipo de vídeo. Afinal, sua audiência vai saber se seu conteúdo é forçado ou autêntico.

FONTE

Compartilhe:
Artigos relacionados