Na última quarta-feira (28), o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) revelou que 126,9 milhões de usuários estão conectados na internet. O dado representa um crescimento de 3% em comparação a pesquisa passada. Intitulada TIC Domicílios 2018, ela mostra também que o smartphone é o meio de acesso de 97% dos usuários no país. 

Esse crescimento é apontado principalmente nas classes D e E. Resultados de 2018 mostram que 48% dessas pessoas usam a internet. O que demonstra bem mais que os 30% registrados em 2015. 

Houve também um maior acesso de internet na classe C. Apesar de abaixo, ainda é significativo, já que o aumento foi de 13% quando comparado com a edição anterior. 

Essa evolução também gerou uma dependência dos usuários. Isso porque uma pesquisa da Hibou detectou que 91% dos brasileiros não ficam longe do celular por mais de uma hora. O que também influencia no comportamento do mesmo.

Conexão a milhão 

Como mostrado aqui no blog, a qualidade da internet no país melhorou nos últimos anos. O que justifica bastante os dados apresentados até agora. 

Essa melhora do acesso à internet se deve muito à instalação de novos provedores regionais. Cidades menores e regiões periféricas, por exemplo, abriram espaço para empresas pequenas entregarem o serviço que as principais companhias não conseguem. 

A internet por cabo ou fibra óptica deu um salto de 15% em três anos no Brasil. O que dá uma melhor experiência de internet ao usuário. 

Internet no celular = domínio 

A popularização dos smartphones também justifica os dados apresentados. Ao comparar o modo de acesso a internet entre classe A e D/E, é possível compreender. 

No caso, 84% dos usuários de classe A acessa internet tanto pelo computador quando pelo celular, tendo apenas 12% deles utilizando o smartphone de maneira exclusiva. Enquanto nas classes D e E, esse valor é o contrário. O celular domina 85%, enquanto só 13% utiliza os dois meios. 

O que ajuda no enfraquecimento dos computadores. Em 2014, por exemplo, 80% dos usuários utilizavam computador para acesso à internet.

No entanto, como mostrado anteriormente, os smartphones também transformaram o comportamento. 

A mesma pesquisa da Hibou revela que também 91% dos entrevistados grava áudios, por preguiça de digitar. Essa porcentagem, ano passado, era de 65%. 

Quanto ao tempo de uso, 60% afirmou que perde a noção do tempo com posts e vídeos. Nesse segmento, houve um aumento de 67% dos usuários que se cobram para silenciar o smartphone na parte da noite, mas não fazem.

FONTES

1 2