Neste início de semana, a empresa de Mark Zuckerberg acrescentou o termo “do Facebook” no nome do WhatsApp e Instagram. O objetivo é tornar mais claro o domínio da empresa sobre os dois aplicativos. O que demonstra que não são mais independentes.

Os novos termos foram divulgados pelo portal The Information. A informação do site apresenta uma mudança de comportamento da companhia de Zuckerberg. Isso porque o Facebook dava maior distanciamento e independência para suas propriedades.

“Queremos ser mais claros sobre os produtos e serviços que fazem parte do Facebook”, informou Bertie Thomson, porta-voz da empresa.

Os novos nomes poderão ser vistos apenas na página de login e lojas de aplicativos. Atualmente, apenas o Instagram já está publicamente novo, mas o Facebook já confirmou a mudança do app de mensagens.

Hoje já é possível encontrar nas lojas de aplicativo por “Instagram do Facebook”. Além disso, já é possível ver a nova marca ao fazer login no aplicativo e também na tela de configurações.

Segundo fontes, funcionários do “WhatsApp do Facebook” e “Instagram do Facebook” foram notificados recentemente sobre a mudança. O que gerou não só muita surpresa, como também confusão.

Mudança de nome do WhatsApp e Instagram evita total separação?

Após a compra dos dois aplicativos, haviam discursos sobre manutenções próprias e independentes. Porém, a mudança do nome do WhatsApp e Instagram demonstram a falta de autonomia das duas empresas.

Tanto que os co-fundadores das duas largaram as empresas nos últimos anos. E hoje, os apps são comandados por executivos próximos a Zuckerberg.

Outro ponto é o discurso antigo sobre a integração entre o Messenger, WhatsApp e o Instagram Direct em uma plataforma só. O que pode servir como estratégia para evitar divisões.

O site TechCrunch observou que a colocação da marca no nome do WhatsApp e Instagram serve como argumento para mostrar como a separação dos apps seria prejudicial.

Para o The Information, também pode ser uma questão de vaidade. Isso porque, segundo o site, Zuckerberg está desapontado com a falta de crédito que a empresa recebe pelo crescimento do WhatsApp e Instagram. E isso fica mais claro após duas pesquisas do DuckDuckGo, de 2018, mostrarem que mais da metade dos americanos nem sabiam que os dois apps são do Facebook.

FONTES

1 2 3