O mundo da internet vive uma fase dos números. Número de inscritos aqui, número de comentários ali, e, claro, os likes. No entanto, o Instagram iniciou nessa quarta (17) uma exclusão do número de curtidas nas publicações.

Não significa que a plataforma não terá mais a curtida. A mudança está na questão numeral. Ou seja, o que antes mostrava, por exemplo, “@usuáriox e outras 1.768 pessoas curtiram”, agora não é mostrado mais aos seguidores. Cada usuário consegue ver as curtidas em suas publicações, porém, não está mais de maneira pública.

De acordo com a empresa, a ação é um teste para diminuir a competição entre seguidores. E até ajudar na fomentação de desenvolver conteúdos mais criativos ao invés de em busca do maior número de likes possível.

O objetivo é também combater aplicativos terceiros de venda de seguidores e curtidas. Apesar de negada pelo Instagram, há também a motivação de diminuir casos de ansiedade. E criar uma discussão sobre autoestima e o quanto isso pode afetar a saúde dos usuários.

Por justamente se tratar de uma ação em fase experimental, a empresa ainda vai analisar a recepção e os resultados. Por isso, não existe confirmação se a rede não terá mais like permanentemente.

No Canadá – onde o experimento vem sendo testado desde maio – os resultados se provaram positivos. E a expansão para outros países é uma forma de avaliação – e confirmação – do funcionamento.

Além de que não são todos os usuários que vão passar pelo teste. O experimento ocorre no aplicativo do Instagram para iPhone e Android, e com alguns usuários apenas.

Leia também: LISTA DE INOVAÇÕES PARA EMPRESAS

O que a mudança do Instagram afeta os influenciadores?

Os likes estão entre as principais métricas de análise para agências e marcas. Consequentemente, a ação também altera a maneira como os influenciadores agem na plataforma.

Isso porque a falta da métrica vai transformar a maneira que o engajamento será analisado. Sobre isso, pode existir uma possibilidade de influenciadores enviarem relatórios às agências e marcas.

Ainda assim, tanto as agências, quanto os próprios usuários, explicam que as curtidas já não devem ser o fator principal de análise. Para Adrianne Elias, sócia fundadora da Content House e da CoCreators, as métricas são apenas uma das variáveis para se analisar. E como aponta Inaiara Florêncio, diretora de Social Media da SunsetDDB, os comentários e compartilhamentos vão ganhar mais relevância, junto com o conteúdo.

E como explicado anteriormente, o teste do Instagram pode desencadear uma preocupação muito maior com a criação de conteúdo.

Entretanto, a eliminação dos likes prejudica o gatilho de interesse. Isso porque o número de visualizações e curtidas chamam a atenção para o consumo de determinado produto. E é exatamente nesse quesito que a criatividade precisa ser trabalhada.

Para Adriano Souza, diretor de mídia da Mutato, as marcas estão mais focadas na experiência do usuário. Portanto, a mudança pode tornar o Instagram ainda mais relevante aos usuários, que vão passar a compartilhar aqueles conteúdos que eles realmente acreditam na qualidade.

“Como a função das redes sociais é conectar as pessoas, promover esse tipo de competição pode afastar aquelas que não se sentem parte (…) Adaptar-se às mudanças da sociedade é fundamental e deve ser uma tendência entre as demais plataformas”, explica.

Posicionamento das celebridades

Devido ao da mudança provocar o desenvolvimento de novas estratégias de muitos influenciadores, era esperado o posicionamento de muita gente. E como esperado também, houveram aqueles que deram like na ação. Enquanto outros, um dislike.

Para a atriz Kéfera Buchmann, essa atitude vai preservar o lado emocional das pessoas. “O desespero por likes e comparações agora acabou! Liberdade para produzir o conteúdo que quisermos sem pensar no que irá impressionar os outros”, publicou em seu Instagram.

O influenciador Felipe Neto foi outro que aprovou a mudança. Para ele, o Instagram virou uma ferramente de fomento à vaidade, ao ego e ao desespero por atenção. “A remoção dos likes talvez diminua essa disputa vazia de vaidades, essa busca constante de tentar parecer algo que não é (…) Que esse fim dos likes também traga o fim do facetune, dos retoques desesperados e da máscara de perfeição cobrindo uma vida comum humana”, postou na rede social.

Por sua vez, para o apresentador Otávio Mesquita, sócio da BR-media group, a mudança não trará mudanças comerciais. Ele explicou que o Instagram Stories não trabalha com número de visualizações, e ainda assim é uma ferramenta muito procurada pelas marcas.

Já para a ex-BBB Patrícia Leitte, há uma certa preocupação com a retirada dos likes. “Hoje, a maior ferramenta de divulgação é o Instagram, então vamos nos organizar para que todo mundo ganhe isso”, desejou em seu post.

FONTES

1 2 3