Entretenimento e trabalho: Não é novidade que paira uma certa dificuldade no campo da gestão de pessoas e na manutenção do comprometimento e engajamento de uma equipe com o trabalho, sobretudo quando o número de envolvidos é demasiadamente alto.

Por se tratar de uma observação recorrente, estudos recentes demonstram que existem formas inusitadas de se conquistar a atenção de uma equipe para muito além do clássico pacote de salário, benefícios e flexibilidade de horário.

A gamificação surge como uma resposta inteligente aos empreendedores e líderes que buscam unificar sua equipe e despertar o engajamento de forma leve e descontraída, desenvolvendo habilidades importantes para o cotidiano e a resolução de problemas de forma criativa.

A tendência dos games dentro do trabalho

Conforme aponta o Jornal de Negócios, a gamificação trabalha a implementação de jogos em ambientes corporativos para que sejam atingidos objetivos além do mero entretenimento, desenvolvendo o raciocínio estratégico.

Já de acordo com o blog Ryan Jenkins, 61% dos CEOs e CFOs e outros executivos fazem pequenas pausas para jogos durante o trabalho, sendo que mais da metade deles diz se sentir mais produtivo com isso.

Essa pesquisa foi feita em 2013, o que reforça que essa nova prática veio para ficar.

Outras pesquisas atestam a positividade dos resultados da implementação de games no dia a dia dos profissionais.

A iniciativa conquistou 80% dos funcionários que embarcaram na novidade, sendo que 87% destes se declararam mais produtivos, 84% enalteceram estar mais engajados e 83% deles disseram estar mais felizes no trabalho.

Entretenimento e trabalho

A tendência encontra inspiração no sucesso da indústria de games, que simula situações nas quais as pessoas naturalmente se interessam em buscar soluções, como na possível reconstrução de Notre Dame.

Você provavelmente se lembra de ter passado horas traçando um plano estratégico para vencer uma partida de War ou de Banco Imobiliário entre amigos, ainda que o tenha feito no esquema de tentativa e erro, mas foi capaz de identificar formas mais eficazes de jogadas.

Este mercado tem demonstrado estar tão em alta que já é possível encontrar até mesmo nichos especializados para a profissionalização de gamers.

Um universo de possibilidades

Jogos de tabuleiro são uma alternativa fácil e barata.

Traçar uma estratégia pode demandar mais do que inicialmente imaginamos, o que faz com que nos demos conta de que essa não é uma tarefa simples e tampouco rápida.

Com jogos de tabuleiro, é possível que a equipe desenvolva senso de oportunidade e fixe conceitos que são valiosos quando em situações complexas.

Um destes jogos é o WAR, a versão brasileira do americano Risk e sucesso absoluto de vendas que desenvolve a liderança estratégica, abordando ataque, defesa, alianças, foco, pessoas e conquistas, ou seja, um prato cheio para um treinamento em equipe.

O jogo Risk está também disponível na aplicação Google Play que conta já com 108 mil downloads.

De acordo com a Infomoney, uma das lições mais importantes trazidas pelo jogo é o foco no objetivo de cada jogador, que deve se manter como uma prioridade, de forma que toda a estratégia de jogada seja traçada em torno disso.

Entretenimento e trabalho
Entretenimento e trabalho

A implementação da gamificação, contudo, pode demandar uma continuidade e disponibilização de tempo que nem sempre é possível alcançarmos no horário de trabalho.

Esse obstáculo pode ser facilmente contornado com as versões online dos jogos que existem em quase todas as modalidades.

Uma outra forma de desenvolver não só o raciocínio estratégico, mas também as habilidades de competitividade, são os jogos online em plataformas especializadas, como a Betway cassino online, onde é possível encontrar uma vasta gama de jogos que podem se ajustar às necessidades individuais de cada equipe.

Um jogo interessante para estes fins é o poker, que chegou a ser declarado um esporte mental.

Muito comum em cassinos, o poker demanda que os jogadores pratiquem seu desenvolvimento pessoal, atenção às movimentações do jogo, identifiquem e calculem risco, além da extrema atenção nas palavras e gestos adotados por seus oponentes e, é claro, a definição de estratégias de curto, médio e longo prazos.

Em outras palavras, o poker traz em sua jogabilidade uma ótima oportunidade de desenvolver e integrar uma equipe, orientando-a para a alta performance.

Os jogos de RPG (role playing game) são um dos mais indicados no desenvolvimento da tomada de decisão, uma vez que o jogo é praticamente movimentado por decisões de pequeno e grande portes durante todo o seu curso, sendo que o apanhado de decisões tomadas acompanhará o jogador durante toda a partida.

De acordo com o portal de economia do Uol, a liderança se projeta nas pessoas que conseguem manter a linearidade do jogo por meio do engajamento com suas decisões.

Além disso, as tomadas de decisão funcionarão em influência direta e indireta aos demais jogadores, possibilitando o gerenciamento dos personagens.

Ferramenta Curiosa

Nestes termos, a tecnologia surge como uma ferramenta curiosa no treinamento da equipe.

A realidade virtual é uma espécie de game capaz de inserir o colaborador em uma situação controlada na qual é possível acompanhar os pormenores. Uma das vantagens da escolha por essa modalidade de jogo é a dispensa de espaços físicos maiores para que sejam criadas simulações.

Ademais, não há necessidade em perturbar e suspender operações comerciais normais para que a gamificação em realidade virtual seja implementada em larga escala.

Se uma das pessoas da equipe tem algum receio em falar em público e fazer apresentações, por exemplo, simular um ambiente que experiencie essa situação pode fazer com que a pessoa se acalme e treine uma forma em que ela se sinta confortável em ter a atenção de todos, buscando o sucesso no compartilhamento das informações.

Tendência de mercado

A gamificação é uma excelente forma de aprendizado em razão do lúdico que a cerca.

A maior vantagem, quando observamos sob a ótica corporativa, é a possibilidade da criação de aspectos diferenciados e situações problema que demandam o entrosamento e o comprometimento da equipe.

Com a vantagem de que, por se tratar de uma simulação controlada, os riscos inexistem, possibilitando um mapeamento daquilo que funciona e daquilo que não funciona não somente ao colaborador, mas para a equipe e para a empresa como um todo.

Neste cenário encontram-se as condições ideais para um ambiente de aprendizado e apostas criativas por meio da experiência. Sobre isso, um estudo conduzido pela Talent LMS revelou que quase 80% das pessoas afirmam que sua produtividade seria maior se houvesse mais incentivos em gamificação em sua universidade ou empresa.

O acúmulo de conhecimento entre os jogadores será fundamental para que as tomadas de decisão, dali para frente, sejam mais bem fundamentadas e, portanto, mais assertivas.

O desenvolvimento das habilidades gerenciais é vantajoso tanto para a equipe quanto para a empresa, que contará com um quadro de colaboradores enriquecido e multitarefas, capaz de trabalhar sob pressão.