O vento não está muito a favor das empresas de tecnologia. Isso porque o próprio Departamento de Justiça dos Estados Unidos revelou que vai abrir uma nova investigação contra grandes empresas de tecnologia.

Ainda que não houve especificações quanto as empresas, o Wall Street Journal publicou que, entre os alvos, estão empresas como Amazon, Facebook, Apple e Alphabet. O objetivo das novas investigações, segundo o próprio Departamento, é analisar competições, “inovações sufocadas” e o impacto das companhias na vida dos consumidores.

De acordo com a BBC, o órgão disse que o início das investigações aconteceu depois de “preocupações generalizadas”. Elas estão ligadas a “serviços online de busca, redes sociais e algumas plataformas de varejo”.

Segundo Makan Delrahim, Procurador Geral do Departamento, “sem a disciplina de uma competitividade de mercado significativa, plataformas digitais podem agir de maneiras que não são responsivas”, afirmou.

Devido a isso, o segmento da investigação envolve como as principais empresas de tecnologia cresceram exponencialmente. Com isso, analisar também como conseguiram criar novas e diferentes unidades de negócios e produtos. Além de manter uma base expansiva e massiva de usuários.

Em abril, o Google chegou a ser investigado sob a acusação de quebrar a lei antitruste – criada a fim de proibir compra de empresas de mesma ordem.

No momento, nenhuma empresa se pronunciou. No entanto, a bolsa de valores já deu uma resposta quanto ao aviso do Departamento. Isso porque as ações do Facebook, Alphabet e Amazon fecharam em queda.

Pior para o Facebook entre as empresas de tecnologia

Ainda que a investigação esteja de olho em diversas empresas de tecnologia, o Facebook é o que mais vem sofrendo. Isso porque, neste mês, a empresa admitiu que está sendo investigada pela Federal Trade Commission (FTC) e aceitou pagar uma multa de US$ 5 bilhões.

A revelação veio na manhã da última quarta (24) através do Twitter. Na publicação, a FTC revelou o valor da multa e o motivo. “[Multa a pagar] sujeita a novas restrições sobre as decisões de privacidade do usuário para liquidar as acusações da FTC de que a empresa violou um pedido do FTC de 2012”.

Essa atitude, segundo o órgão, engana os usuários sobre a capacidade da empresa de controlar a privacidade das informações pessoais.

Para Joe Simmon, presidente da FTC, a magnitude da multa foi projetada para punir violações futuras. E também para mudar a cultura de privacidade do Facebook, e assim, diminuir a probabilidade das próximas violações.

“O pedido exige que o Facebook reestruture sua abordagem à privacidade a partir do nível corporativo de baixa. E estabeleça novos mecanismos para garantir que os executivos do Facebook sejam responsáveis ​​pelas decisões que tomam sobre privacidade. E que essas decisões estejam sujeitas a uma supervisão significativa”, informou o comunicado oficial.

Além do valor a ser pago, a companha vai ter que criar um comitê de privacidade. E assim, garantir que os usuários serão respeitados.

FONTES

1 2 3