Você sabe o que é economia colaborativa? Transformar uma ideia em negócio online é um desafio que exige planejamento, um bom feeling para aproveitar as tendências e toda a contribuição de quem pode agregar valor e benefícios.

Apenas ter a ideia não é o suficiente para afirmar a eficiência e o sucesso do negócio.

É fundamental buscar amparo nos modelos já existentes para servir como referência, principalmente, no que diz respeito ao desempenho do faturamento e dos custos.

Neste post, vamos explicar como você pode abrir um grande negócio virtual a partir de uma nova ideia, mostrando o que é possível fazer para começar de maneira sustentável, utilizando a economia colaborativa como aliada e, assim, se consolidar no mercado!

O que é economia colaborativa?

Se você nunca ouviu falar desse termo é melhor ficar atento. Pois, muitos negócios, em início das atividades, estão se estabelecendo sustentados pelo modelo de economia colaborativa e suas diversas oportunidades oferecidas.

A economia colaborativa é um modelo que leva à reflexão sobre os gastos e introduz sugestões para se pagar menos, considerando a troca, o empréstimo e o aluguel.

Ou seja, compartilhando tudo aquilo que for útil às partes envolvidas, sem que o ônus cause impacto além do previsto.

O prejuízo é tudo que o empreendedor de um novo negócio não deseja.

Logo, buscar alternativas, que sejam viáveis financeiramente, pode ser vantajoso não apenas para o seu negócio, mas também para outros empreendedores que estejam vivenciando os mesmos desafios.

O sentido da colaboração é fomentar e alavancar os novos negócios, ofertando, em contrapartida, o pagamento justo ou, até mesmo, a cessão de algo que seja útil na base da troca.

Se você descobriu uma ideia excelente, será preciso testar e criar oportunidades de transformação em um negócio. O mercado consumidor é volúvel e isso faz com que muitas empresas tenham dificuldades em se fortalecer.

Recorrer aos parceiros para evitar um gasto exorbitante, logo no início, pode ser uma estratégia interessante para quem detém uma boa ideia de negócio, mas não dispõe de um investimento alto.

Se esse é o seu caso, a economia colaborativa é um caminho com boas chances de dar certo.

O que é necessário fazer para começar um novo negócio?

Já falamos sobre o desafio de um novo negócio, que pode custar caro — além do que o planejamento comporta.

Antes de sair em busca de parcerias colaborativas, avalie alguns fatores relevantes para acertar de primeira e ver a marca ganhar visibilidade.

Decida o que pretende fazer

Se uma ou várias ideias rondam a sua mente, tente se conectar com aquela que mais se encaixa ao seu perfil empreendedor e formule a introdução, o desenvolvimento e a consolidação no mercado.

Somente depois que você tiver decidido o que fazer, é que haverá condições reais de visualizar o potencial do negócio e determinar os passos seguintes. É fundamental ter algum domínio da área na qual você pretende atuar.

Estude o mercado

Mesmo que você consiga se decidir por aquela ideia que tem tudo para ser a nova sensação, analise o mercado.

Por mais que sugira bons resultados, pode ser que já exista uma concorrência grande ou algum empecilho burocrático que você talvez desconheça.

Verifique, inclusive, se na sua ideia de negócio cabe a implementação da economia colaborativa e se existem muitos parceiros disponíveis, com os quais você poderá contar em médio e longo prazo.

Esse é um fator que determina a média de gastos do seu negócio.

As tendências de mercado são um termômetro para quem deseja abrir um negócio próprio.

Elas ditam as regras e facilidades que você poderá encontrar no meio do caminho, o que serve de parâmetro para comparar com o que você tem em mente.

Tenha um planejamento

O planejamento permite uma visão ampla e abrangente de todas as pretensões — antes, durante e depois — em relação ao novo negócio.

A ideia é o start, mas é planejamento que norteará a trajetória dessa ideia rumo a um patamar de referência no mercado.

Dentro do planejamento, uma série de ações é delineada para providências gerais e todos os envolvidos internamente devem ser convidados a contribuir com soluções práticas para colocar o negócio em funcionamento, de forma viável e econômica.

Esse é um dos primeiros contatos com a economia colaborativa. A mudança de uma cultura desperta, no time interno, o desejo de transformação, economia e utilização de recursos que sejam baratos e atendam à necessidade daquele momento.

Elaborar um planejamento, que contemple tanto o presente quanto o futuro, é permitir ao novo negócio um tempo de maturação e fortalecimento da ideia.

Com isso, as medidas preventivas serão adotadas para evitar surpresas desagradáveis.

Recorra a um parceiro para otimizar pagamentos

O consumidor é o ponto alto de qualquer negócio. Deve existir todo um cuidado na abordagem, para que os serviços oferecidos sejam aceitos e se transformem em um diferencial capaz de modificar os hábitos do cliente.

A proteção dos dados do cartão de crédito, por exemplo, tem papel fundamental na relação do consumidor com a loja virtual.

Muito além do valor, o consumidor da atualidade deseja efetuar suas compras com segurança, tranquilidade e conforto.

Contar com a parceria de um intermediador de pagamentos, além de profissionalizar o negócio, vai permitir maior controle, agilidade e tratamento diferenciado ao consumidor, com disponibilização de um checkout transparente e diversos meios de pagamento.

Normalmente, a intenção do cliente é minimizar a burocracia e fugir das filas nas lojas físicas.

Sendo assim, criar dificuldades em seu processo de compras na web é retroceder, ainda que seja uma ideia brilhante e inovadora.

Um novo conceito chega sempre acompanhado de muitas expectativas e ansiedade para colocar em prática e ver os resultados.

Tenha cautela e siga as dicas que trouxemos neste conteúdo — elas são essenciais para auxiliar e embasar a sua tomada de decisão.

Se você gostou deste post sobre a economia colaborativa e está com uma ideia engatilhada para transformar em um negócio, assine a nossa newsletter e tenha acesso a conteúdos ótimos para tornar você ainda mais especialista no assunto!

Sobre a iugu?

Primeira plataforma online para automação financeira do Brasil, a iugu diminui as barreiras na implementação de pagamento digital, atuando como facilitadora para empresas que desejam realizar cobranças de forma recorrente.

Acompanha métricas de negócios e automatiza os fluxos de recebimentos e pagamentos, otimizando a operação de departamentos financeiros.

Devido à sua API robusta, outras empresas podem contratar e disponibilizar os serviços financeiros da iugu para terceiros.