Empreendedoras e chefes do lar

No dia 8 de março, o mundo celebra o Dia Internacional da Mulher. Entretanto, apesar dos avanços, há muito o que evoluir. Por exemplo, elas são empreendedoras e chefes do lar, porém a disputa salarial ainda é uma questão.

De acordo com dados da Rede Mulher Empreendedora, o Brasil tem 24 milhões de empreendedoras. Esses dados foram revelados durante a última edição da Campus Party, em fevereiro.

Porém não é só isso. De acordo com um novo estudo do Sebrae, o número de empreendedoras e chefes do lar aumentou muito. Em dois anos, as mulheres foram de 38% a 45% no número de chefes de família.

Além disso, o número de casas na qual a principal fonte de renda é a do marido diminui de 49% para 41%.

A pesquisa do Sebrae mostrou mais um dado. As empreendedoras, geralmente, se envolvem nessa área de atuação por dois motivos:

1 – Para poder adquirir uma renda extra;

2 – Para conseguir a independência financeira.

Mas e o salário?

O IBGE divulgou nessa sexta (08/03) alguns números de 2018. Entre eles, destaca-se que enquanto elas receberam, em média, R$2.050, os homens tiveram média salarial de R$ 2.579.

Ou seja, a diferença salarial média entre homens e mulheres é de 20,5%.

De acordo com o estudo, as horas trabalhadas, em média, foram inferiores para as mulheres. Elas cumpriram 37,9 horas, enquanto eles fizeram 42,7 horas. Porém, o estudo não levou em consideração a dupla jornada com atividades domésticas.

O estudo mostrou ainda que a diferença salarial se dá – em maior parte – nas profissões nas quais o nível de instrução escolar exigido é menor. Por exemplo quando o nível fundamental incompleto é aceito.

Enquanto alguns países como a Islândia já tomaram medidas para reduzir essa desigualdade, o Brasil não se movimentou muito nessa área. Entretanto, é inegável que hoje em dia o olhar do mercado sobre a mulher é muito melhor do que há alguns anos.

Cada vez mais aumenta a percepção de que elas são necessárias no empreendedorismo, na tecnologia, na ciência e em todas as outras áreas.

Fontes 1, 2 e 3

Thaís Dias

Diferentão Cultural