A internet permitiu a diminuição de distâncias. Hoje é possível conversar com alguém que está longe. Você pode estudar e trabalhar sem sair de casa. Mas e o médico a distância?

Uma resolução do Conselho Federal de Medicina – CFM – mudará os rumos da medicina no Brasil. Se tudo der certo, a partir de maio os médicos poderão trabalhar a distância.

Sendo assim, eles poderão realizar consultas, cirurgias e diversas outras formas de atendimento online.

Alguns hospitais já fizeram testes nessa área. Neles, os médicos enviavam casos para outros especialistas e recebiam a ajuda por vídeo conferência.

Consulta com médico a distância?

Como dito anteriormente, o médico a distância pode exercer todas as suas funções de médico. Entretanto, existem algumas regras que devem ser obedecidas.

A primeira consulta deve ser feita presencialmente. Além disso, pacientes com doenças graves e crônicas devem ter, no mínimo, uma consulta presencial a cada quatro meses.

Também é necessária a manutenção de um arquivo das consultas. O paciente precisa autorizar gravações, mas, caso não autorize, não haverá atendimento.

Outra função do médico é determinar se o paciente pode realmente ser diagnosticado dessa forma.

Entretanto, vale ressaltar que essas regras são maleáveis. Caso a pessoa viva em uma área de difícil acesso e sem médicos, a primeira consulta já poderá ser realizada de forma remota.

Durante o atendimento é necessária a presença de um profissional da saúde, mas não necessariamente um médico.

E as cirurgias?

Para que as cirurgias sejam feitas de forma remota é preciso que um médico esteja com o paciente. Nesse caso, os participantes precisam ter os exames pré operatórios, que também podem ser feitos a distância.

A operação será realizada com a utilização de robôs e outros tipos de tecnologia. Por isso, é necessária a presença de um médico com o paciente, para resolver qualquer complicação.

Fontes 1 e 2

Thaís Dias

Diferentão Cultural