Redes sociais são tão parte da nossa vida que parece que elas sempre existiram. Porém, a verdade é que elas ainda estão em processo de adaptação. O Instagram, por exemplo, anuncia mudanças sempre que tem problemas.

O último fato que causou alteração no aplicativo foi o suicídio de uma garota de 14 anos. Molly Russell tirou a vida em seu próprio quarto.

Alguns meses depois, os pais da jovem acessaram sua conta no Instagram e descobriram que Molly seguia páginas sobre depressão e auto mutilação. Por isso, o pai dela acusou a rede social de ser – em parte – responsável pela morte da filha.

Isso causou uma série de manifestações públicas. O povo começou a pedir mudanças na plataforma. A pressão funcionou e o Instagram anunciou que as coisas serão diferentes.

As mudanças do Instagram

Em um momento no qual a Europa busca formas de regulamentar as redes sociais, o Instagram anunciou mudanças em seus conteúdos. De acordo com a empresa, imagens relacionadas a suicídio e auto mutilação serão controladas.

Em um primeiro momento a ação será feita em larga escala para dificultar o acesso de adolescentes a esse tipo de material. Além disso, também será proibido o uso de hashtags que estejam relacionadas a esses temas.

Porém, a ideia não é fazer uma eliminação completa. A empresa afirmou que isso impediria que pessoas que precisam de ajuda se manifestem na rede social.

Os críticos disseram que isso é necessário, mas que a plataforma demorou demais para tomar uma providência. Eles chegaram a afirmar que o crescimento descontrolado desses conteúdos em redes sociais tornou praticamente impossível o seu controle.

A plataforma também afirmou estar procurando formas de ajudar quem está em busca de conteúdos relacionados a suicídio e auto mutilação. No momento, o foco principal é nos adolescentes já que eles representaram um grande aumento no número de suicídios.

Fontes e 2

Thaís Dias

Diferentão Cultural