Nasa comprova a relação entre o deserto do Saara e a floresta Amazônica

Há alguns anos a Nasa comprovou que há relação entre o deserto do Saara e a floresta Amazônica. Um vídeo da Nasa já mostra que o universo encontrou uma forma de conectar esses locais.

Pode ser difícil de acreditar, mas a poeira do Saara vai até a Amazônia. Isso quer dizer que os grãos de poeira viajam mais de 2000 km. Ou seja, há uma grande relação entre esses espaços tão distantes.

São centenas de milhões de toneladas de areia atravessando os desertos da África, o Oceano Atlântico e as Américas.

Por qual motivo isso acontece?

A natureza é maravilhosa. Isso não é um exagero. Ela descobre o que é necessário para o seu funcionamento perfeito e, além disso, as formas de execução da sua necessidade.

E é por uma necessidade do ecossistema que isso acontece. A poeira do deserto do Saara, entre outras coisas, auxilia na fertilização da floresta.

A poeira do Saara tem uma série de nutrientes que são essenciais para as plantas. As plantas da floresta precisam desse fenômeno para o restabelecimento de suas forças.

É só isso que a poeira faz?

Entretanto, não é só para isso que a poeira viaja longas distâncias. É possível que ela também sirva para a fertilização de seres – como fitoplânctons – dos oceano.

A qualidade do ar nas Américas – do Norte, Central e do Sul – também é afetada por esse fenômeno. Mas dessa vez nós não estamos falando de qualidade, mas sim, de problemas. Ela pode causar alergias e problemas em pessoas com asma.

Além disso, da mesma forma que a poeira carrega nutrientes, ela pode carregar coisas tóxicas. Por isso, também existe relação entre a poeira do saara e poluição.

Especialmente se estivermos nos referindo a problemas com corais. Isso acontece pelo fato de que boa parte da poeira se espalha pelos oceanos.

Fontes 1 e 2

Thaís Dias

Diferentão Cultural