As pesquisas contra o câncer estão avançando cada vez mais. Porém, será que um teste respiratório poderia determinar o câncer? É isso que pesquisadores britânicos estão tentando descobrir.

Os testes com seres humanos já começaram e têm o objetivo de identificar se o câncer – de diversos tipos – deixa algum rastro químico detectável na respiração.

Estão participando da pesquisa 1500 pessoas, sendo que algumas delas já estão com o diagnóstico da doença.

O instituto responsável pelo estudo é o Instituto Cancer Research UK, localizado na Universidade de Cambridge.

Com esse estudo, os cientistas esperam que a doença possa ser descoberta nos primeiros estágios, pelo clínico geral. Isso evitaria que o paciente perdesse tempo com exames elaborados e com o encaminhamento para o oncologista.

Isso tornaria o processo mais simples, barato e, além disso, o tratamento poderia ser mais curto e com maiores chances de sucesso.

É preciso ressaltar que o tratamento ainda seria feito pelo oncologista. Ele só não precisaria se preocupar com a parte de diagnóstico.

Como funciona o estudo?

Nosso corpo libera um tipo de molécula que é conhecida como compostos orgânicos voláteis. Porém, uma pessoa com câncer – e outras doenças – não produzem essas moléculas da mesma forma. Inclusive, elas podem ter um odor diferente.

A pesquisa consiste em coletar amostras de respiração dos voluntários. Isso acontecerá da seguinte forma: as pessoas devem respirar em uma máscara por 10 minutos

A partir disso, os médicos desejam descobrir se isso é identificável por um teste respiratório.

Além disso, eles desejam definir se também é possível determinar qual o tipo de câncer do paciente. E, é claro, em qual estágio a mudança acontece.

Os testes iniciais envolvem pessoas com câncer no esôfago e no estômago. Porém, não deve demorar para que sejam incluídas pessoas com câncer de próstata, rins, bexiga, intestino e pâncreas.

Infelizmente, os testes ainda estão no começo. Por isso, não deve existir nenhum resultado conclusivo até 2020.

Fontes 1 e 2

Thaís Dias

Diferentão Cultural