O título pode parecer meio estranho. Porém é exatamente o que você leu. Existe um robô que troca comida por um sorriso.

Criado no Instituto Real de Tecnologia de Melbourne, na Austrália, ele é um braço que pode te alimentar. Para ser mais específica é um colete com um braço mecânico e espaço para o celular.

O projeto recebeu o nome de Arm a Dine. Esse nome é uma brincadeira. A palavra ‘Arm’ é inglesa e pode significar braço ou armar. Enquanto isso, a palavra “a dine” significa “um jantar”.

Ou seja, ‘arm a dine’ refere-se ao braço que te alimenta, mas também quer dizer, em seu sentido literal “armar um jantar”.

Como funciona?

Se apenas um celular estiver sendo utilizado, é preciso que duas pessoas estejam à mesa. Assim, uma pessoa usa o colete e a outra é alimentada. Porém, quando dois aparelhos de telefonia são utilizados, um funciona como um espelho do outro. Nesse caso, é possível alimentar a si mesmo.

A pessoa que vai alimentar precisa vestir o traje e sentar perto de um prato. É importante observar que os alimentos escolhidos devem ser pequenos e fáceis de pegar. Já quem for ser alimentado, precisa sentar em frente ao outro – também perto do prato.

Quando tudo estiver pronto, a câmera do celular será acionada. O aparelho precisa ter um software de detecção facial, permitindo o reconhecimento de feições de tristeza, neutralidade ou um sorriso.

Quando o sistema reconhece que a pessoa está sorrindo, tudo acontece. O aparelho enviará uma mensagem para a placa controladora do braço. Depois disso, o braço localizará e pegará a comida. Então ela será levada até bem perto da boca da pessoa a ser alimentada.

Veja melhor como funciona:

Robô troca comida por um sorriso… então você pode brincar com a comida

Uma das coisas divertidas a respeito da máquina é que ela cria uma brincadeira. Se a pessoa que deve receber a comida sorrir, ela será alimentada.

Entretanto, se ela não sorrir, quem recebe o alimento é quem está usando o colete. Agora, se o sensor achar que a expressão é de neutralidade, ele faz um movimento ambíguo, permitindo que os participantes adivinhem quem receberá a comida.

Parece divertido, não?

Fonte

Thaís Dias

Diferentão Cultural