As mulheres continuam em sua luta por direitos. No ano passado, diversos escândalos de abusos surgiram na mídia. Mas não foi apenas isso. Foram diversas as conquistas femininas em 2018.

Acredito que todas essas conquistas irão reverberar no futuro das próximas gerações. Inclusive, elas podem melhorar as opções de emprego para meninas.

Entre as grandes conquistas femininas em 2018, podemos destacar:

1 – Luta contra o assédio:

A luta contra o assédio marcou o ano de 2018. No primeiro dia do ano, atrizes e produtoras de Hollywood anunciaram o fundo Me Too – movimento contra o assédio. O fundo foi lançado com 13 milhões de dólares para ajudar na defesa jurídica das vítimas.

Além das atrizes, as atletas de ginástica Olímpica dos Estados Unidos também denunciaram um dos técnicos. Ao todo, foram 265 denúncias.

No Brasil, um dos maiores escândalos foi o do médium João de Deus. O número de denúncias já passa de 500.

2 – Oscar de Fotografia teve a primeira mulher indicada

Não são poucas as mulheres que assinam a direção de fotografia no cinema. Entretanto, somente uma concorreu ao Oscar até esse momento.

Rachel Morrison foi indicada pelo filme Mudbound – Lágrimas sobre o Mississippi.

3 – No parlamento espanhol, as mulheres são maioria

O novo primeiro ministro espanhol, Pedro Sánchez, anunciou quem faria parte do seu ministério. São 11 mulheres e 6 homens.

O primeiro ministro chegou a dizer para a mídia que seu governo seria aberto ao mundo, focado na União Europeia e incluiria todos os gêneros.

4 – Na Copa do Mundo, Iva Olivari chamou a atenção

Uma das grandes surpresas da Copa do Mundo foi o desempenho da seleção da Croácia. Mesmo sem que ninguém acreditasse, eles foram às finais.

Mas não foi apenas isso. A seleção da Croácia era a única que tinha uma mulher no banco de reservas. Iva Olivari é a gerente da seleção. E, com a ida dos croatas à final, ela se tornou uma das pessoas mais importantes do futebol mundial.

5 – Trabalho e Maternidade

Ser mãe e trabalhar fora de casa ainda é um tabu. No Brasil, por exemplo, muitas mulheres abandonam a carreira depois que as crianças nascem. Entretanto, pode ser que o mundo esteja mudando.

Em 2018, a primeira ministra da Nova Zelândia anunciou sua gravidez. E ela não abandonou o cargo. São muito poucas as líderes de estado que tiveram filhos no período de exercício da função.

Mas não foi só na política. A tenista Serena Williams voltou a jogar depois de se tornar mãe. A atleta caiu muito no ranking, entretanto surpreendeu o mundo com sua recuperação.

6 – Prêmio Nobel da Paz

O prêmio nobel da paz 2018 foi entregue para Nadia Murad e o médico ginecologista Denis Mukwege. Nadia é uma ex-escrava sexual do Estado Islâmico. Ela ficou sequestrada por 3 meses.

Os dois ganharam o prêmio por seus trabalhos de combate à exploração sexual.

7 – E o Nobel de Física não era de uma mulher há 55 anos

Donna Strickland foi uma das vencedoras do Nobel de Física. Sua pesquisa permitiu o uso de laser de alta intensidade. Isso permite que partículas não vistas a olho nu – como vírus – sejam “pegas” pelos lasers, sem rompê-las.

8 – Nas Eleições Americanas, elas quebraram o recorde

O número de mulheres concorrendo ao Congresso dos Estados Unidos foi o maior da história. E elas não pararam por aí. Ao todo, foram 96 eleitas. Dentre elas, deve-se destacar:

  • Alexandria Ocasio-Cortez de 29 anos, foi a mulher mais jovem a se eleger;
  • Deborah Haaland e Sharice Davids, as primeiras indígenas;
  • Rashida Tlaib e Ilhan Omar, as primeiras muçulmanas;
  • Ayanna Pressley, a primeiro membro do congresso negra do estado de Massachusetts;
  • Marsha Blackburn, primeira senadora no Tennessee;
  • Veronica Escobar e Sylvia Garcia, as primeiras legisladoras latinas do Texas.

9 – Stacey Cunningham se tornou a primeira presidente da Bolsa de Valores Americana

Em 2018, as duas maiores exchanges americanas ficaram nas mãos de mulheres. Para ter-se uma noção do avanço, quando Stacey Cunningham entrou no mercado de trabalho, o banheiro feminino da Bolsa de Valores era uma cabine telefônica reformada.

10 – Discurso da Oprah

Oprah foi premiada no Globo de Ouro 2018. Além de agradecer às mulheres que se colocaram contra o assédio, ela agradeceu às que vieram antes dela. Agradeceu a cada uma das mulheres que abriram – e continuam abrindo – espaço para as novas gerações.

As mulheres dessa lista, assim como muitas outras, também merecem agradecimento. Por causa delas, o futuro das meninas poderá ser mais livre.

Fontes 1, 2, 3 e 4

Thaís Dias

Diferentão Cultural