Fiz uma das viagens mais inusitadas da minha vida: fui para a Itália sozinha e para que isso desse certo, tive algumas tecnologias para facilitar a vida por lá.

Já era um sonho antigo visitar cidades como Milão, Vaticano etc, por isso, quando vi a brecha que tinha minha agenda, as passagens com o preço acessível, não tive dúvida e em uma semana estava partindo para essa aventura.

Todas as tecnologias usadas e que citei no vídeo, são formas práticas para não se perder em lugares de difícil comunicação, principalmente se você não fala inglês (que é algo essencial na hora de se comunicar lá fora).

Tecnologias para facilitar a vida fora do país

  • Booking

Sim, site de hotéis que facilitou e muito minha chegada na Itália. Peguei os quartos de acordo com quanto eu queria pagar e o tempo que estaria. PS: lá não é tão comum ter café da manhã, não esqueçam de colocar esse filtro na hora da busca.

Só tive um problema no final, um hotel que não tinha elevador e eu não tinha como subir. Ainda estou resolvendo isso com eles.

  • Airbnb – Experiências

Eu acho que essa descoberta foi mais do que fantástica: comprar experiências nas cidades que eu ia visitar! Do Brasil, comprei coisas como: um dia de fotos em Veneza, passeio em uma Vinícola, Yoga em frente ao Dumont.

Realmente tudo foi como estava escrito por lá! Não é algo barato, mas para quem viaja sozinho, pode deixar tudo mais alegre e menos solitário.

  • PayPal

Além de receber dinheiro de campanhas, eu uso muito o PayPal na hora de fazer compras. Primeiro que eu não tenho cartão de crédito, então facilita e muito a minha vida.

A outra coisa é fazer compras no exterior e o medo de ser “roubada” eletronicamente. Então, todos os Trens e Airbnb usei o One-Toutch deles, que é rápido e seguro. Não esquecendo que eu já comprei em dólar para não ter aquela surpresinha no final do mês se fosse cartão de crédito direto.

  • Moovit + Google Maps

Parece lógico a questão de usar o Google Maps, mas eu brinco que a junção dos dois torna a locomoção bem mais certinha. O Moovit fala até para você descer na “próxima estação” quando está dentro de um ônibus por exemplo.

Porém, para chegar até um ponto x, o mapa dele não é tão bom e foi aí que usei o Maps.

Na Europa, o Uber existe mas ele é bem mais caro, então ou você tem muita grana para gastar com táxi/Uber, ou você aluga um carro ou finalmente, usa transporte público – que por lá é bem tranquilo.

  • Chip local

Eu estava muito preocupada em descer do avião e não ter internet, ainda mais porque eu não estava de férias, eu estaria parte do tempo com trabalho remoto.

Assim que passei da imigração, comprei o primeiro chip que ví, foram 50 Euros, mas se você tiver um pouco mais paciência que eu, é fácil comprar um plano maior na rua por cerca de 25-30 Euros.

E como foi a viagem?

Bom, no vídeo-vlog abaixo,  conto sobre essas tecnologias e aproveito para mostras as experiências e algumas paisagens maravilhosas.

Pretendo agora viajar muito sempre que tiver um feriadinho aqui no Brasil. Mas, já tenho data para o próximo desafio: 19 de janeiro para o Vale do Silício. Acompanhem no meu IG.

Agora é sua vez de falar

O que vocês acharam desse vídeo? Curtam e deixem comentários… todo feedback é essencial para o meu trabalho como youtuber de negócios ;)

Ah, não esqueçam de sugerir mais tópicos, no meu canal falamos de: vendas, startups, empreendedorismo, influenciadores digitais, carreira, dicas com especialistas, redes sociais, marketing, um pouco da minha vida pessoal e muito mais.

Beijos

Talita Lombardi

Instagram Talita Lombardi

Twitter: @talilombardi

E-mail: talita@startupsstars.com

Fan Page do Startups Stars

Blog de IntraEmpreendedorismo