De acordo com uma pesquisa feita pelo Booking.com, a área de tecnologia tem chamado a atenção das mulheres. A pesquisa mostra que a perspectiva das brasileiras em tecnologia são muito boas. E das mulheres de outros países também.

O estudo teve por objetivo “entender melhor o contínuo desafio da diversidade de gênero no setor de tecnologia e as percepções, experiências e ambições de mulheres do mundo todo com relação às oportunidades de carreira no setor de tecnologia”.

A pesquisa foi realizada em 10 países e foi respondida por 6.898 pessoas. Segundo as entrevistadas, o setor de tecnologia é atrativo, mas alguns fatores atrapalham. Esses fatores envolvem a parcialidade nas seleções, o mercado de trabalho atual etc.

A perspectiva das brasileiras em tecnologia

A pesquisa também foi feita no Brasil. As brasileiras mais jovens estão interessadas na área por causa da liberdade criativa. Essa foi a resposta dada por 29% das estudantes do Ensino Médio e por 26% das universitárias.

Além disso, as jovens afirmaram que a carreira possibilita o crescimento financeiro a curto prazo e liberdade para o desenvolvimento dos próprios caminhos.

Com relação às mulheres que já trabalham com tecnologia, as perspectivas também são animadoras. Nove em cada dez afirmaram que pretendem continuar atuando com tecnologia pelos próximos 5 ou 10 anos.

Os motivos de interesse

  • 61% afirmou que a área é inovadora;
  • 50% acha que permite criatividade;
  • 36% crê que é inspiradora;
  • 27% acha que as opções de emprego são desafiadoras;

O emprego dos sonhos das brasileiras

  • 92% deseja algo inspirador;
  • 90% quer trilhar o próprio caminho, podendo escolher o que farão com sua carreira;
  • 88% espera poder usar seus talentos naturais.

Os pontos negativos

  • 50% acredita que homens ainda têm mais chances no setor. Para elas, há preferência pelo gênero masculino nas entrevistas;
  • 21% sente falta de mulheres no comando;
  • 38% julga o mercado sexista;
  • 86% acha que mulheres têm mais dificuldade para entrar no mercado;
  • 87% enxerga dificuldade de crescimento na carreira.

De acordo com Gillian Tans, CEO da Booking.com, a falta de representatividade é o que permite que elas tenham essas impressões ruins a respeito da carreira.

Fontes 1 e 2

Thaís Dias

Diferentão Cultural