Brasileiras empreendem: O estudo “Empreendedoras de Negócios 2018“, realizado pela Rede Mulher Empreendedora (RME), revelou que muitas brasileiras empreendem sem dinheiro. Esse é o terceiro ano no qual a pesquisa é realizada.

O estudo, que também contou com a colaboração da Avon, foi respondido por duas mil mulheres.

O resultados mostraram que brasileiras empreendem:

  • apenas 3% das empreendedoras começaram seus negócios com empréstimos bancários;
  • 17% delas usaram o dinheiro que tinham guardado na poupança;
  • 13% usaram o próprio salário;
  • 37% começaram sem nenhum recurso.

Além disso, o estudo revelou um fato curioso com relação aos costumes bancários dessas empreendedoras. 97% afirmaram ter contas bancárias pessoais, entretanto, apenas 42% afirmaram ter uma conta jurídica.

A falta de contas jurídicas é justificada pelo fato de que elas conseguem acesso a crédito mais facilmente com uma conta pessoal. Além disso, as taxas de juros são menos elevadas e as condições de crédito mais acessíveis.

Entretanto, isso também é um grande problema. Pessoas que empreendem precisam ter muito cuidado com suas finanças. O dinheiro pessoal não deve se misturar com o dinheiro da empresa. Porém, esse tipo de cuidado é praticamente impossível quando a empreendedora trabalha com uma única conta.

Essa falta de crédito para início de empreendimento é curiosa. Especialmente quando consideramos que quase 50% dos pequenos negócios nacionais são comandados por pessoas do sexo feminino.

Costumes relacionados aos gastos

Para empreendedoras que só possuem conta física:

Para empreendedoras que usam conta jurídica:

  • 19% compram com o cheque especial;
  • 23% capital de giro;
  • 20% financiamento;
  • 12% rotativo no cartão de crédito;

A grande maioria – 42% a 74% – não possui linha de crédito. Isso pode variar de acordo com o ramo do empreendimento.

Motivos para elas não pedirem empréstimos

O estudo também mostrou que a maior parte das empreendedoras nem tenta ter acesso a empréstimos. Elas começam a pensar nessa possibilidade depois que o negócio está consolidado.

As justificativas são:

  • 59% têm medo de dívidas;
  • 14% não precisam do empréstimo;
  • 14% acreditam que o banco não vai fornecer o empréstimo.

Entre as donas de empresas maiores, 51% já pediram ajuda aos bancos.

Fonte

Thaís Dias

Diferentão Cultural