55 anos se passaram desde que a última uma mulher venceu o Nobel de Física. Maria Goeppert-Mayer havia sido a última, em 1963, e, antes dela, apenas Marie Curie havia ganhado o prêmio, em 1903.

A vencedora desse ano, terceira a ganhar o prêmio, foi a canadense Donna Strickland. Ela dividiu o prêmio com o americano Arthur Ashkin e o francês Gerard Mourou.

Os três dividem o prêmio de um milhão de dólares por suas pesquisas relacionadas à física dos lasers:

– Arthur Ashkin criou a “pinça óptica”, técnica usada em sistemas biológicos;

Donna StricklandGerard Mourou facilitaram o caminho para que seja possível atingir os mais fortes e curtos pulsos de laser. Eles desenvolveram uma técnica que recebeu o nome de Chirped Pulse Amplification ( amplificação do pulso entrecortado, em tradução livre).

A técnica já é aplicada em tratamentos contra o câncer e em cirurgias para correção de problemas nos olhos.

Ambas as pesquisas são muito importantes para a humanidade. Ashkin permitiu que coisas que não podem ser vistas a olho nu – vírus e partículas, por exemplo – pudessem ser pegos com pinças.

Isso só é possível por causa do laser, que atrai os atrai e os mantém presos no lugar desejado pelo cientista.

Já a pesquisa de Strickland e Mourou permitiu que lasers de alta intensidade fossem usados. Os cientistas não conseguiam usá-los pelo fato de que eles sempre causavam ruptura em qualquer equipamento que fosse utilizado.

Por isso, eles precisaram estender o laser para reduzir seu ponto máximo de força, depois o laser foi amplificado e, por último, comprimido. Isso permite que a luz fique concentrada em um espaço menor, aumentando sua capacidade.

A polêmica

Em entrevista à BBC, Strickland disse que achava “surpreendente” uma mulher estar a tanto tempo sem receber o prêmio. Entretanto, ela deixou claro que sempre foi bem tratada no meio e nunca se sentiu discriminada.

Porém, o prêmio de Strickland veio alguns dias depois da suspensão do cientista italiano Alessandro Strumia, da Universidade de Pisa por parte da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (Cern).

Em um seminário, apresentado na semana passada, o cientista afirmou que a física foi “inventada e construída por homens”.

Uma das pessoas a lembrar esse fato, foi o professor Jim Al-Khalili, que leciona física teórica na Universidade de Surrey. No Twitter, ele comentou: “Como é delicioso que a física canadense Donna Strickland seja uma das ganhadoras do nobel de física apenas alguns dias depois daqueles comentários misóginos ridículos sobre mulheres na física.”

Fontes 1 e 2

Thaís Dias

Diferentão Cultural