As impressoras 3D são uma realidade que muita gente ainda não viu. É fácil encontrar pessoas que nunca olharam para um produto impresso com essa tecnologia. Entretanto, as pesquisas estão tão desenvolvidas que é possível imprimir casas 3D.

A ideia de construir casas 3D em Marte surgiu em 2014. Mas, como esse é um projeto muito importante, a NASA resolveu lançar um desafio, chamado “3D-Printed Habitat Challenge” – Desafio da habitação impressa em 3D (em tradução livre).

A competição foi dividida em três fases:

  • Fase 1: os participantes precisaram pensar em um conceito artístico inovador que tivesse como base os conceitos arquitetônicos. Essa fase terminou em 2015;
  • Fase 2: os times deveriam mostrar sua capacidade de construção 3D em pequenas escalas. Finalizado em agosto de 2017;
  • Fase 3 – dividida em cinco níveis. Até o momento apenas o primeiro foi finalizado. Nele, a missão dos times era desenvolver um modelo virtual de uma casa 3D em Marte. Uma das principais preocupações é com os materiais usados. A maioria deve ser reciclável e recursos do próprio planeta devem ser usados, É importante que Marte fique livre de lixo.

Para a construção das casas, a NASA deseja enviar um robô que consiga agir de forma autônoma e, assim, possa imprimir as casas 3D no solo de Marte. O próximo desafio vai focar na construção do robô que receberá essa missão.

A estimativa é a de que as habitações possam ser construídas em 2030. A NASA acredita que a lua vai ser o primeiro lugar a receber as casas 3D.

Holanda já está tornando as casas 3D uma realidade na Terra

Em junho de 2018, a prefeitura da cidade holandesa Eindhoven anunciou o projeto de casas 3D. A iniciativa, realizada pela união entre a prefeitura, a Universidade de Eindhoven e algumas construtoras, tem por objetivo a construção de cinco moradias.

Apesar de o país não ser o primeiro a desenvolver casas 3D, essa é a primeira vez na qual elas realmente são destinadas ao aluguel.

Mais de cem pessoas já apresentaram interesse de alugar as casas. O valor dos aluguéis vai variar entre 900 e 1.200 euros (de R$ 4 mil a R$ 5400 aproximadamente). Tudo depende do tamanho da casa.

O país está interessado nesse tipo de construção por muitos fatores, mas dois são os mais importantes:

1- Apesar de as casas 3D serem mais caras, seu preço tende a diminuir com o progresso da tecnologia. Ou seja, elas provavelmente serão mais baratas do que os métodos normais;

2 – A Holanda já está com escassez de pedreiros. O país estima que, em breve, a mão de obra não será suficiente para a demanda de construções.

A primeira casa deve ficar pronta em 2019.

Fontes 1, 2 e 3