Acredito que você, às vezes, deve se perguntar porque eu bato tanto na tecla das forças, porque estou sempre reforçando o quanto conhece-las e focar sua energia nelas é fundamental para alcançar resultados extraordinários, certo? É porque eu vejo a maioria das pessoas perdendo tempo a vida inteira com aquilo em que elas não são boas. Essas pessoas são tristes, sem progresso, sem resultados e, por vezes, o que mais fazem é reclamar. Exatamente tudo o que eu não quero que você faça. Por isso que para você não cair na armadilha da reclamação, eu sugiro que dê um passo atrás e, reconheça, investigue, se aprofunde e trabalhe em descobrir o que te faz forte. O que difere você do resto do mundo. O que você tem, que é melhor do que qualquer outra pessoa planeta.

Trabalhe arduamente para se empoderar daquilo em que você é incrível.

Agora, sabe porque as pessoas passam a vida trabalhando suas fraquezas? Porque esse é o modelo tradicional. Foi pra isso que você foi “treinado”. Nós, enquanto indivíduos, fomos educados a ficarmos na média. Eu sempre gosto de dar esse exemplo porque ele é de fácil entendimento e de maneira muito prática exemplifica o que acontece nesse modelo tradicional de educar: quando eu estava lá na minha aula de matemática indo super bem, a próxima aula era de português e a professora já entrava na sala me dando bronca. “Rodrigo você foi mal na prova, não fez os exercícios blá, blá, blá”. Maior balde de água fria na empolgação que eu trazia da aula anterior, de matemática, onde eu me destacava. E aí por orientação da própria professora e da direção da escola o que eu tinha de fazer? Se na matemática eu já estava bem, vamos deixá-la de lado e focar no português. Vamos melhorar o português.

Nós, enquanto indivíduos, fomos educados a ficarmos na média.

O que acontece dali pra frente é que ao invés de eu me tornar um expert em matemática, eu continuo bom e no português (em que eu era muito ruim), fico menos pior e assim consigo ficar na média. Fico mais ou menos e é isso que vai me fazer passar de ano. Foi assim que eu fui treinado. Foi assim que você, possivelmente, também foi. E é isso que a indústria exige do indivíduo. Se nesse cenário você se encontra na média é fácil para eles te substituírem por qualquer outro, já que estão todos na média mesmo. Essa é a realidade. Tem gente que não gosta de ouvir isso e até fica bravo comigo, mas são fatos. Aqui eles só querem substituir, não individualizar.

Quando você reconhece e potencializa suas habilidades, seu resultados passam a ser extraordinários.

Mais uma vez porque eu falo tanto de forças e estou sempre te lembrando do quão importante é saber onde estão as suas? Porque eu tenho convicção que cada um de nós é especial. A gente só não é tratado de forma especial a vida inteira, mas quando você reconhece isso e você começa a se tratar dessa maneira, o mundo começa te enxergar de uma forma diferente. O mundo começa a te respeitar. Só não esqueça que toda essa transformação começa em você e com você. Quando você reconhece e potencializa suas habilidades, seu resultados passam a ser extraordinários. A partir daí ninguém mais ira te tratar como um mediano.

Isso me faz lembrar uma fase da minha infância, lá pelos 7/8 anos de idade. Eu não era um exemplo como aluno, não era o melhor aluno da sala, mas nunca coisa eu era demais: eu era o melhor jogador de futebol da classe. Mesmo sendo um aluno mediano, eu era reconhecido na escola por ser um craque no futebol e esse reconhecimento, essa percepção de que eu era esse grande jogador, naquela época, me dava a autoconfiança que eu precisava para poder tocar o dia a dia.

Isso não quer dizer que eu não tenha falhas e fraquezas, aliás, sendo muito sincero, eu tenho muitas de verdade. O fato é que eu não ligo para elas. E ao não lhes dar visibilidade, as outras pessoas também não as conseguem enxergar. Quem se aproxima de mim, vem por conta das minhas forças. Pela energia e foco que eu coloco nelas. Vez ou outra tem quem queira se aproximar com ênfase nas fraquezas, assim a “conversa” fica mais fácil. “Você é ruim aqui, eu sou ruim alí… entende?” Esse é o caminho mais fácil e por ele segue a maioria das pessoas no mundo. Agora é isso que você quer pra sua vida? Quer receber tapinha nas costas seguida da frase de que a vida é assim mesmo? Ou você quer chegar cheio de energia, fazendo acontecer?

A diferença é que eu sei quem sou, o que eu posso e onde é que quero chegar. Eu sei exatamente o porquê eu faço o que faço.

Sim, muitos vão te chamar de louco. Enquanto o mundo está vivendo todo o drama dos problemas e das fraquezas, chega você com toda sua força e disposição, não poderia ser diferente. “Quem é esse cara e o que ele tá dizendo?”. Eu passo por isso todos os dias! A diferença é que dentro de mim, eu sei quem sou, o que eu posso e onde é que quero chegar. Eu sei exatamente o porquê eu faço o que faço.

Ter consciência disso não só ti empodera, como traz uma liberdade sem tamanho. A liberdade de reconhecer que está em BETA, que nunca vai ser bom em tudo e, principalmente, que deve contar com pessoas que têm forças complementares as suas. Como diz a frase “sozinho você pode até chegar mais rápido. Agora acompanhado (de forças complementares) você chegará muito mais longe”.

Rodrigo Barros

Empreendedor, Comunicador e Escritor

#versaobeta #handsOn

———————————————————————————————————————-

Saiba mais sobre meu livro VERSÃO BETA — DECIDA SER INCRÍVEL nos links abaixo:

www.rodrigobarros.com.br/livro

www.enkla.com.br/kitsversaobeta

Sigam-me nas redes sociais: sou @rodrigobarrostv em todas elas; no Snapchat sou rb.barros

http://handson.tv — Conteúdo em vídeo selecionado por empreendedores para empreendedores.

http://www.rodrigobarros.com.br/