7   +   1   =  

Fala galera mais um “Jurídi…O que?!?!” no ar e no vídeo de hoje vamos falar sobre o que é “Direito das Startups”  que tanto se fala ultimamente:

Gostou? Se inscreva!

O nome “Direito das Startups” utilizado neste vídeo não tem como intuito criar uma nova área autônoma como Direito Civil, Direito Tributário, Direito Penal, etc, mas sim destacar alguns instrumentos jurídicos mais utilizados no dia-dia de uma startup.

Hoje em dia, se tornou corriqueiro se deparar com instrumentos tipicamente norte-americanos sendo utilizados no Brasil, tais como, Corporete Governance, Tag Along, Drag Along, Stock Options, Vesting, NDA, entre diversos outros.

Na verdade o “Direito das Startups” é uma compilação de instrumentos de Direito Empresarial e Propriedade Intelectual que são mais utilizados pelas startups, mas não para por aí, não é somente uma compilação de instrumentos, mas também é um adaptação destes  à realidade das startups e da nova economia que elas criaram.

Isto significa que um mesmo instrumento de Direito Empresarial pode ter duas versões, uma ligada aos empreendimentos comuns e outra ligada às startups, ou seja, um mesmo contrato para um empresa comum pode ser muito mais robusto, burocrático e cheio de amarras e para uma startup pode ser ágil, simples e enxuto, mas mantendo as mesmas proteções, garantias e resultados.

Por fim então, podemos entender que o “Direito das Startups” pode ser entendido como a aplicação e adaptação de institutos de Direito Empresarial (nacionais e internacionais) e Propriedade Intelectual de acordo com a realidade e necessidades das startups.

Se você gostou deste conteúdo, comente e compartilhe!

Um abraço e até a próxima!

Layon Lopes, advogado especialista em direito empresarial e apaixonado por empreendedorismo.

Curta nossa página no Facebook!          Siga nosso Twitter!                 Silva Lopes Advogados