Oi, pessoas!

Tudo bem? Vamos falar hoje sobre o Qnegócio, que é uma plataforma online que transforma processo de confecção de uniformes, melhorando a forma de trabalho. Cristiano Mendes, CEO e fundador da empresa, explica que o objetivo da startup é criar um ambiente para compradores, onde seja possível solicitar orçamentos e até finalizar a contratação dos seus serviços. Confira abaixo a entrevista completa com o CEO.

 

1 – O que é sua startup e como surgiu a ideia?

Somos uma plataforma de intermediação entre sua empresa e clientes interessados em confeccionar ou personalizar camisas e uniformes. Nosso objetivo é criar um ambiente onde seja possível para compradores solicitar orçamentos e até finalizar a contratação dos seus serviços. A ideia surgiu a partir de uma necessidade, onde tive a oportunidade de presenciar a dificuldade da líder de sala da faculdade onde estudo Administração, onde a mesma era questionada pelos amigos devidos aos valores absurdos cobrado pela confecção de nossos uniformes. Ela, por sua vez, alegava dificuldades no tempo, comunicação e meios para se locomover em busca do melhor orçamento.

 

2 – Qual o momento de sua startup e qual foi o primeiro passo para tirar a ideia do papel?qnegócio2logo

Lançamos a cerca de duas semanas nosso protótipo (MVP), estamos fechando parceiros e testando a ideia. Nosso primeiro passo para ver se seria viável foi uma gama de entrevistas que realizamos dentro da própria faculdade com outras turmas e também com empresas que necessitam desses serviços para confeccionar seus uniformes corporativos. Em nossas entrevistas constatamos que 80% dos entrevistados possuíam essa dificuldade e cerca de 95% se tornariam usuários de nossa plataforma.

 

3 – Qual é seu modelo de negócios e por que escolheu o mercado no qual está inserido?

Inicialmente iremos trabalhar com Marketplace, onde ganharemos cerca de 20% de comissão de todos os trabalhos intermediando. O trabalho intitulado Análise da Estrutura Setorial da Cadeia Têxtil Brasileira e Perfil de Consumo de Artigos de Vestuário mostra que, em 2012, o valor das vendas industriais dos segmentos têxtil e de confecções foi de R$ 46,5 bilhões. Esses dois elos da cadeia empregaram pouco mais de 1 milhão pessoas. No varejo, o nível de emprego em 2012 foi de 670 mil pessoas. Entre 2007 e 2012, o segmento de confecção apresentou crescimento de 8,9%, sendo que o volume de vendas do varejo de artigos têxteis e de vestuário cresceu 3,9% ao ano, em média.

 

4 – Por que decidiu empreender?

Sempre tive vontade de ter meu próprio negócio, ou era isso, ou ser piloto de avião. Hoje me recordo que desde criança tive o espirito empreendedor, quando lembro das brincadeiras que tinha, onde o objetivo das mesmas, junto com meus primos, era criar uma cidade e desenvolver industrias dentro dela. O meu primeiro real contato de ter o próprio negócio veio aos 17 anos, onde criei a Q&C Designer junto com minha atual sócia Quélvia. Trabalhávamos com desenvolvimento de websites. Desde então, mantivemos o sonho de criar algo que fizesse diferença na vida das pessoas.

 

www.qnegocio.com.br

Fase: Lançamos há cerca de duas semanas o nosso protótipo, o MVP, estamos fechando parceiros e testando a ideia.

http://fb.com/qnegocio

 

Jéssica Flausino

contato@lapresse.com.br

LaPresse – Assessoria de Imprensa para Startups

Fan Page do Startups Stars

Startups Stars no Google +