Olá, Startupeiros!

 Time is money. E não é segredo para ninguém. Com tantos compromissos, contratar um prestador de serviço para cuidar da limpeza de sua casa ou escritório se tornou uma tarefa árdua. E essa é a solução que a Blumpa, nossa entrevistada de hoje, traz para o mercado… uma startup paulista que passou pelo Seed-MG. Nesse bate-papo, o Ibrahim Cesar, co-fundador da plataforma nos contará sobre seu negócio.

 

1- O que é o Blumpa e como surgiu a ideia?

“Somos uma plataforma que conecta pessoas físicas e empresas com provedores de serviços domésticos, como faxineiras, diaristas, mensalistas, domésticas e franquias de limpeza. Para isso, desenvolvemos um algoritmo próprio para determinar a profissional mais próxima e mais apta para os trabalhos contratados. Atualmente atuamos na Grande São Paulo, Campinas e Curitiba, totalizando 19 municípios.

A ideia surgiu quando a diarista que trabalhava na casa do meu sócio, Eduardo del Giglio, começou a faltar porque morava longe. E ele teve dificuldades para substituí-la, mesmo pedindo ajuda a amigos. Por causa disso, resolvemos criar a Blumpa, um site que intermedeia a contratação de domésticas. E aperfeiçoamos o projeto durante o primeiro batch do Bootcamp da Germinadora, em 2013.”

 

2- Quais são os benefícios da Blumpa para os prestadores de serviços?

Investimentos em publicidade on-line, SEO e todo o mix de marketing digital, o que garante o fluxo contínuo de pedidos. Além disso, 1897966_1462404303988266_221714502_noferecemos o checklist do que deve ser limpo para manter uma qualidade padrão em toda a rede cadastrada. Também somos parceiros da Casa Bombril que provê classes especiais em técnico de limpeza para as profissionais Blumpa, o que eleva a qualidade dos serviços prestados.

3 – Hoje, qual é a responsabilidade do site com os usuários quando contratam o serviço?

Nós nos responsabilizamos pelos serviços realizados em seu sistema, zelando pela pontualidade, realização das horas e pela qualidade. As profissionais de limpeza em nosso sistema são autônomas e fica a cargo das mesmas os danos e problemas que vierem ocasionar. Mas, buscamos ajudá-las quando as raras ocorrências acontecem. Grande parte de nosso trabalho é fazer a gestão da expectativa.

4- Qual foi a fase mais difícil de criar uma startup?

Acredito que os períodos mais difíceis são dois: no início, quando as hipóteses não estão validadas e existe muita incerteza. Do ponto de vista emocional é o mais desafiador. É quando a execução tem um peso maior e definitivo para o futuro do empreendimento e sem um modelo de negócios definido, fica bem difícil prever um futuro próximo. A outra é a de, uma vez iniciado o motor de crescimento, conseguir um salto não apenas incremental, mas exponencial, mantendo a quantidade e qualidade. O mítico “escalar”. Poucas startups chegam nesse nível e menos ainda fazem a transição com qualidade.

 

 

URL: www.blumpa.com

Fase: Procuramos expandir nossas operações para atender outros mercados.

Facebook: https://facebook.com/blumpasimplesassim

Google+: https://plus.google.com/u/1/b/117917484008457275376/117917484008457275376/about

Twitter: http://twitter.com/blumpita

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/blumpa

 

Luana Weitzel

contato@lapresse.com.br

http://www.lapresse.com.br/

Fan Page do Startups Stars

Startups Stars no Google +