Boa Noite!

Hoje temos uma entrevista com um super CEO: Florian Hagenbuch @flohagenbuch. Ele é Alemão, mas veio para o Brasil com 4

Florian

Florian Hagenbuch, CEO at Printi

anos, estudou o colegial aqui e se mudou para fazer faculdade nos Estados Unidos. Depois disso, trabalhou no mercado financeiro, em um fundo de investimentos em Londres e ainda morou no China por um tempo. Resumindo, um empreendedor com visão global, mesmo morando em tantos lugares, ele sempre soube que voltaria para empreender no Brasil. Voltou em junho do ano passado após conseguir o investimento para a Printi, sua empresa. Em agosto do mesmo ano, lançou sua plataforma de gráfica on-line.

A empresa tem sua sede em São Paulo em um lugar chamado “Mansão”. Ficaram curiosos? Depois eu conto… Mas vamos lá. A Printi é uma plataforma de encomenda de produtos impressos personalizados sob demanda, em outras palavras, uma gráfica on-line. A empresa atende tanto o mercado coorporativo (B2B) quanto o mercado do cliente final (B2C). Eles apostam na simplicidade da ferramenta, pois o usuário entra no site, faz o orçamento do seu produto, sem precisar ligar para gráfica, sem precisar de muita burocracia, a pessoa faz o upload do arquivo, efetuam o pagamento e eles entregam o produto final na casa/empresa  do usuário em um prazo de 6-7 dias.

Tudo é feito com uma inteligência dentro do sistema, a automatização do processo. O primeiro passo, foi colocar a inteligência na parte dos orçamentos. Hoje, com alguns cliques a pessoa consegue fazer o orçamento, sem precisar de intermediários como as gráficas tradicionais, feito isso o usuário só precisa fazer o upload do arquivo e pronto. No site isso é automatizado, apenas o feedback sobre a qualidade do arquivo eles fazem “manualmente” o que vai muda a partir do mês que vêm, onde as correções serão automáticas. Se existir algum erro será corrigido na tela. Eles apostam nas ferramentas que facilitam o dia a dia, principalmente para quem não gosta de burocracia.

Ele comentou um pouco sobre como eles encaram a parte da logística, a estratégia da Printi é explorar o mercado de São Paulo, pois 50% do mercado gráfico está concentrado por lá, um dado importante, hoje o mercado de impressões gira em torno de 15 bilhões de reais por ano.

printi

printi

Mas eles não deixam de atender clientes de outras praças, quando se trata de encomendas em lugares mais distantes de produtos mais simples como flyers, cartões de visitas, etc. Eles conseguem ter uma boa aceitação por conta do preço agressivo dos seus produtos, isso vem a compensar o custo alto da logística. Eles já entregaram no Rio, Minas, Recife, enfim em muitos lugares do Brasil.  Para não deixar de atender bem as outras praças, eles possuem diversos parceiros estratégicos (transportadoras), pois os correios só trabalham até 30Kg.

Talita: Visão de Empreendedor – O que acha do momento do Brasil para empresas de tecnologia, fazendo um paralelo com sua experiência em outros países.

Florian: “Ano passado, o mercado estava bem aquecido e nós levantamos uma rodada de capital de  +ou- 2,5 milhões de reais para o Brasil e foi um processo relativamente tranquilo, não foi  uma grande batalha, pelo que eu converso com os empreendedores agora, o mercado deu uma desaquecida com relação os investidores, pois eles estão com um pouco de receio, principalmente porque o Brasil só cresceu 1% no ano passado e algumas das empresas que tiveram investimento de muito capital, não tiveram o crescimento explosivo, que era esperado.

Eu acho que em temos oportunidades, em coisas que precisam ser feitas, em modelos de negócios que podem ser explorados, pois ainda é um momento fantástico. Para mim sempre foi muito claro que eu queria vir pra o Brasil, pois acredito no país em longo prazo, passei um tempo na China, eu não gostei tanto, nem acredito tanto.

Nós temos certos obstáculos, se tivesse um número de reformas políticas, o país poderia crescer muito mais e bem mais rápido, mas paciência, acho que as oportunidades são muito boas e eu continuo acreditando em um 2013 muito bom”

Talita: Sobre Impostos no Brasil – Como vê a política no Brasil para quem começa uma empresa?

Florian: “Precisa ser muito mais fácil abrir uma empresa, tem que ser mais fácil fechar uma empresa. Acho também que as questões burocráticas entre Estados são muito complicadas, questão tributária. Por exemplo,  se você paga ICMS em São Paulo, pois você é uma empresa de e-commerce de São Paulo e você manda uma encomenda para Recife, pode ser que o estado de Pernambuco também venha reivindicar a tributação, essas coisas são muito complicadas, o sistema tributário é muito complicado, em outros países é 1 imposto e pronto, pode ser serviço, pode ser mercadoria.

Precisa ser muito mais fácil e muito menos oneroso contratar pessoas e finalmente, acho que a burocracia é o mais complicado, eu li uma matéria essa mês que em média as empresas aqui gastam 2.700 horas por ano com contabilidade e tributação, é um desperdício de poder econômico , esse tipo de coisa tem que ser mais fácil”

Talita: Florian, um conselho para as pessoas que estão começando a empreender.

Florian :“Acho que poucas pessoas sabem, empreender é uma montanha-russa, sei que as pessoas lêem nos blogs, mas é mesmo, o que destaca o empreendedor que vai dar certo é a persistência, você tem que acreditar na sua visão, tem que ser persistente com essa visão, e você tem que acreditar no sucesso, vender a sua visão ao seu redor, tanto com clientes, fornecedores, quanto funcionários. Persistência e fé, a visão é o que diferencia um empreendedor de sucesso.”

Florian, muito obrigada pela sua atenção. Achei fantástico seu posicionamento e segurança ao falar do projeto, ao falar das dificuldades que nós empreendedores temos aqui no Brasil, o que agora, depois que te conheci um pouco mais,  me fez admirar você. Fã da Print já virei quando li o release de vocês. Conte comigo para o que precisar.

Até amanhã :)

Talita Lombardi

@talilombardi

Fan Page do Startups Stars

Minha Fan Page