Oi gente!

Hoje eu quero falar sobre aqueles dias que estamos estressados e querendo jogar tudo para cima. Sempre que isso acontece, chego em casa e busco mil coisas para não pensar tanto nessas coisas… mas no final, parece que fico rodeando o problema inicial… então hoje, vou falar umas coisas que faço para desligar, acompanhada ou sozinha. Lógico que acompanhada fica menos difícil, mas mesmo assim, se você pensa sobre essas coisas o tempo todo, ninguém vai poder te ajudar. Vamos lá?

Primeiro que decidi fazer Yoga, ela é uma terapia pré-durante-depois das crises… o foco aqui é entender a reação do corpo com o mundo. Por exemplo, se você não lida bem com perdas, a professora vai treinar com um pouco de apneia… que é experimentar um mundo vazio, o que é do corpo sem ar? A mesma coisa é experimentar com muito ar…o que é a vida completa? O resultado de cada um será diferente, mas no final, você conseguirá identificar como seu corpo se comporta com essas circunstancias… como diria um historia que me contaram um dia… um homem andou vários dias até chegar no Himalaia e ele queria saber a resposta de quando iria passar aquela dor, aquele problema.. o monge então deu a ele um livro, que ele deveria ler em duas situações: uma quando ele estivesse muito triste… então ele não demorou e abriu… la estava escrito “vai passar”. Confiante, ele continuou e não desacreditou no monge… e não é que as coisas passaram… ao ponto que um certo dia, a felicidade era tanta, que ele resolveu abrir o livro novamente… e lá estava escrito “isso vai passar também”.

Nos seres humanos somos feitos de momentos, desafios e de resoluções…. Um problema de hoje, será muito diferente do de amanhã… o que importa é como reagimos com isso e como seguimos nossas vidas com tanta coisa que acontece.

Além de lembrar das dicas dos monges, sempre quero buscar coisas que me desconectem até as coisas se encaixem novamente. Tento me divertir e isso pode ser de diferentes formas… Sem dúvidas, o Netflix e o Youtube se tornaram o lugar de achar o que eu não poderia enxergar sozinha. To escrevendo hoje porquê eu to vendo um programa que descobre talentos… e eu me questiono “porque não eu?”… mas sem cobrança… parece uma lembrança juvenil de algo que eu poderia ter feito… nesses momentos eu foco no “aproveitar” ver quem tá fazendo… e eu me transporto para cada apresentação, sofro, vivo, respiro, choro (sim, choro muito), entendendo que as pessoas tem maneiras diferentes de encarar o mundo… vocês acreditam que eu me sinto fora dos meus problemas e vivo o deles? ate mesmo das realizações? Eu tenho muito forte, dentro de mim a compaixão, então programas como esses parece que alimentam minha essência e de troca eu ganho a liberdade da minha mente.

Outras coisas que ajudam:

  • Exercício físico;
  • Gargalhada;
  • Jogo de Tabuleiro;
  • Beijo;
  • Abraço;
  • Ver amigos;
  • Ouvir música;
  • Escrever para blog (rs).

Essas foram poucas dicas de como tenho reagido aos dias estressantes, claro que uma cerveja gelada pode ir junto e eu adoro! O negocio é não desistir! Empreender requer desapego ao problema da ideia inicial e nada melhor do que “viver” outras experiências para enxergar o problema em outros ângulos!

Beijoca

Talita Lombardi

Instagram Talita Lombardi

Twitter: @talilombardi

E-mail: talita@startupsstars.com

Fan Page do Startups Stars

Blog para Empreendedores

Youtube para Empreendedores