Interatividade, Inovação e Educação

As Start-Ups tem tudo para transformar o universo da educação, tanto formal quanto a educação corporativa, em algo bem melhor do que temos hoje. É comum e já conhecido pela maioria das pessoas o termo educação à distância ou EAD, que inicialmente sofreu algumas resistências do meio acadêmico em função da diferença interativa entre professor, ou treinador, e aluno. Afinal através de uma tela fria a interação acaba por ser um pouco limitada e as nuances comportamentais mais difíceis de serem detectadas por instrutores e professores. O que constrói os relacionamentos e aprendizado orientado pedagogicamente entre humanos é a interatividade, sempre foi assim. Através de uma tela fria, a interatividade não acontece da mesma forma como numa sala de aula com pessoas, comentários, percepções, reações, trejeitos e outras observações comportamentais que o educador é apto à realizar.

Mas o EAD traz uma vantagem fundamental que é levar o conhecimento até locais aonde ele não chegaria pelos meios tradicionais ou chegaria muito tarde, quando já estaria obsoleto ou não teria mais função prática. Imagine os rincões do Brasil tendo acesso de educação de qualidade através do EAD, que ganho teríamos na qualidade de vida e de oportunidades para milhares de pessoas que hoje praticamente não existem para instituições educacionais tradicionais?

Mas há um desafio à ser vencido que é proporcionar a interatividade num ambiente virtual de aprendizagem como forma de proporcionar a participação dos estudantes na construção do conhecimento que se desenvolve a distância. A partir de uma plataforma virtual que possa proporcionar a interatividade que possibilite o processo de aprendizagem como mediação pedagógica. É muito mais do que ficar olhando para uma tela com uma interatividade limitada.

Se pensarmos em termos tecnológicos, já temos os recursos para esta ação, o que falta é a idéia que torne este recurso comercialmente viável e disponível. Este é o desafio das Start-Ups do EAD. Uma vez que a barreira tecnológica está vencida ou em grande parte vencida, o caminho fica um pouco mais fácil, mas não menos desafiador sob o aspecto da viabilidade comercial. Claro que como todas as soluções humanas poderá não servir para tudo, mas deverá provocar uma verdadeira revolução no ensino quando esta barreira da interatividade e do processo pedagógico à distância estiver muito próximo da interatividade e do processo pedagógico pessoal.

Há inúmeros e fortes indicadores que chegaremos à este estado de coisas antes do que imaginamos e poderemos proporcionar educação de qualidade para milhares de pessoas que hoje não tem acesso à cultura. Sob este aspecto a inovação proposta pelas Start-Ups poderão fazer uma enorme diferença.

Os mais fortes indicadores que temos hoje está no treinamento empresarial. As organizações, cada vez mais, utilizam-se do EAD para diversos treinamentos à distância, principalmente os de escopo técnico aonde a transmissão da informação é o objetivo fundamental e a tutoria do treinador não precisa estar tão ligada em nuances comportamentais sutís. O Treinamento in Company ganha um reforço importante com o EAD e, em diversos casos, pode ser substituído pelo treinamento à distância. As Empresas de Treinamento e Desenvolvimento estão seriamente aproximando-se do EAD e em breve esta modalidade de treinamento deverá compor o core-business de várias delas.

O que falta é a possibilidade de uma intervenção de cunho pedagógico que simule, ou se aproxime da interatividade entre professor e aluno. Mas estamos à caminho disto, as Start-Ups procuram de todas as formas criarem soluções que permitam uma maior interatividade entre pessoas, num nível maior do que uma tela pode proporcionar e o EAD seria um grande beneficiário desta tecnologia.

Os EUA, Japão e Alemanha já deram alguns passos importantes e bem adiante com experiências interativas. No desenvolvimento rápido da holografia e o domínio das projeções 3D como da Start-Up Americana Magic Leap que fez uma baleia Jubarte saltar diante de da plateia de estudantes numa quadra de esportes em uma escola da Flórida.

Apesar da tecnologia ainda não estar perfeitamente dominada e a Magic Leap sofrer todos os tipos de crítica em torno da solidez que a experiência perceptiva proporcionou ao público, afinal somente algumas pessoas em algumas posições relativas às imagens e aos projetores é que relataram uma experiência quase real, o desafio está sendo passo à passo vencido e talvez possamos entrar numa nova era educacional mais rapidamente do que imaginamos, graças ao bom uso da tecnologia e da inovação.

Autor Convidado :

TrainerBr Treinamentos Corporativos Ltda

www.trainerbr.com.br

E-mail : relacionamento@trainerbr.com.br

Use Facebook to Comment on this Post