Quem é o consultor empresarial?

Muito se fala em consultoria empresarial, seu papel importante na colaboração para uma gestão mais eficiente de uma empresa, e o quanto, muitas vezes, trazer esse tipo de empresa para o seu negócio é necessário. E, ao se contratar esse serviço, vem junto o consultor empresarial. Mas quem é ele? Qual seu papel diante desse trabalho e o quanto ele pode colaborar com a proposta para um bom resultado, que é o crescimento do que você precisa que cresça?

O consultor empresarial nada mais é do que aquele que dá conselhos sobre uma área que é de seu conhecimento, e que fornece uma direção, esclarece uma dúvida, escuta dilemas para, então, sugerir um caminho mais apropriado. Este profissional, no processo do empreendimento, é apenas um coadjuvante, um facilitador, colaborando para as decisões e ações através sua experiência profissional, conhecimento técnico, ferramentas e percepções humanas.

A consultoria tem o papel de incrementar metodologias e processos, resultantes da análise de fatos e tendências, de modo que o empreendedor execute e incorpore ao conhecimento organizacional. E a empresa deve saber aproveitar esse conhecimento e colocar em prática. Isto porque o papel do consultor como o próprio nome já diz é o de dar consultas, aconselhamento e acompanhamento do processo de implantação das mudanças, devendo o empresário ter conhecimento e saber o que esperar dele.

Quem realiza as mudanças

Nesse cenário apresentado, é necessário que o consultor seja um profissional íntegro, que tenha uma boa visão de mundo e amplo conhecimento do mundo dos negócios para que possa melhor orientar a empresa cliente.

Muito embora seja o consultor empresarial quem faz toda a análise da empresa e encontra as melhores alternativas a serem adotadas, é importante ressaltar que seu papel é de tão simplesmente apontar os pontos a serem melhorados e quais são as mudanças e/ou programas de implementação.

Não cabe ao consultor o poder de produzir essas mudanças, vez que o controle sobre as ações tomadas dentro da empresa cabe ao gerente ou proprietário: o consultor não possui controle direto sobre a empresa. Ele apenas estuda a empresa e apresenta alternativas; sem decidir sobre elas ou sua implantação.

O consultor empresarial deve ser visto como um conselheiro da empresa. É alguém de fora, e como qualquer pessoa que não está no comando do empreendimento, não é dono ou gerente para colocar regras. Ele estuda, analisa, sugere e acompanha. É a pessoa hábil a entender o panorama específico e geral da companhia e aconselhá-la por tempo determinado, da melhor forma a concluir com sucesso os objetivos da empresa.

Sobre a convidada:

Jacqueline Gonçalo – Jornalista pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)